H&M tem lucro prejudicado por custos com expansão

Varejista apresentou queda inesperada no lucro pressionada pelo aumento de custos para concorrer com a Zara

Estocolmo – A Hennes & Mauritz (H&M), segunda maior varejista de vestuário do mundo, teve queda inesperada no lucro trimestral, pressionado principalmente pelo aumento de custos para concorrer com a espanhola Inditex, dona da Zara e líder mundial do setor.

Segundo a companhia, os ganhos foram prejudicados por investimentos de longo prazo em comércio eletrônico, uma nova cadeia de lojas e planos de ampliar seu portfólio de moda, além da moeda sueca forte.

A varejista tem a maior parte das operações na Europa, onde a crise de dívida e o crescente desemprego têm contido os gastos dos consumidores.

“Estes investimentos de longo prazo resultaram em aumento de custos e ainda não geraram receita”, disse o presidente-executivo, Karl-Johan Persson. “Mas consideramos esses investimentos necessários e inteligentes, pois visam a garantir expansão futura e lucros, além de fortalecer a posição da H&M”.

O lucro antes de impostos entre setembro e novembro caiu para 6,6 bilhões de coroas suecas (1 bilhão de dólares), contra 6,8 bilhões um ano antes. Analistas consultados pela Reuters previam lucro estável.

A margem bruta recuou de 61,9 para 61,6 por cento, em linha com o previsto.