Greve na Petrobras atinge 43 plataformas na Bacia de Campos

Em nota divulgada na noite de segunda-feira, a Petrobras disse que "está avaliando os impactos das mobilizações dos sindicatos"

São Paulo – Trabalhadores da plataforma de petróleo P-38 da Petrobras aderiram à greve iniciada na semana passada, elevando para 43 o número de unidades marítimas participando do movimento na Bacia de Campos, região responsável por mais de 70 por cento do petróleo produzido no Brasil, informou nesta terça-feira o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF).

“No Terminal de Cabiúnas (Tecab), em Macaé, os grupos que entraram a partir das 23h do dia 1, seguem o indicativo do Sindipetro-NF e ocupam o terminal, porém sem o controle da produção”, disse a entidade em nota.

Em nota divulgada na noite de segunda-feira, a Petrobras disse que “está avaliando os impactos das mobilizações dos sindicatos”.

“As equipes de contingência da empresa foram acionadas e estão operando em algumas unidades. Em alguns locais, estão ocorrendo bloqueios de acessos, cortes de rendição de turno e ocupação”, disse a estatal, sem dar detalhes sobre o impacto à produção e ao refino.

A Petrobras disse ainda que está tomando medidas para manter a produção e o abastecimento do mercado.3 Sindicatos ligados à Federação Única dos Petroleiros (FUP), incluindo o Sindipetro-NF, entraram em greve no domingo.

Entidades ligadas é Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) haviam iniciado paralisações na quinta-feira.