Fundador diz que Dish precisa vencer disputa por Sprint

Charlie Ergen, disse que consideraria a possibilidade de vender a companhia caso não vença a disputa com a SoftBank pela Sprint Nextel

São Paulo - Adquirir a <strong><a href="http://exame.abril.com.br/topicos/sprint-nextel" target="_blank">Sprint Nextel</a></strong> é tão importante para a Dish que seu fundador, Charlie Ergen, disse que consideraria a possibilidade de vender a companhia caso não vença a disputa com a SoftBank.</p>

Ergen também propôs outros possíveis resultados numa teleconferência trimestral da Dish, em que defendeu-se das críticas do fundador da SoftBank, Masayoshi Son, à oferta da Dish.

O executivo disse que poderia fazer uma proposta conjunta ou vender alguns ativos não-essenciais da Dish para reduzir o fardo de dívida caso a disputa com a SotfBank torne-se custosa demais.

A Dish fez uma contra-proposta de 25,5 bilhões de dólares no mês passado pela Sprint contra o acordo firmado pela SoftBank em outubro para pagar 20,1 bilhões de dólares por 70 % da Sprint.

“Se não formos bem-sucedidos com a Sprint, obviamente teremos muitas opções”, disse Ergen. “Pode incluir vender espectros. Pode incluir vender a companhia inteira. Pode incluir uma parceria com outra empresa do setor de telecomunicações”.

No entanto, o magnata, que tem uma reputação por ser duro em negociações, disse que acima de tudo, quer comprar a Sprint, a terceira maior provedora de serviços de telefonia móvel.

“Nossa preferência é a Sprint. É nosso foco”, disse ele a analistas e jornalistas em teleconferência.