Funcionários da GM ameaçam fazer greve

Paralisação na fábrica de São José dos Campos pode ocorrer nas próximas 24 horas

São Paulo – O Sindicato dos Metalúrgicos, o Ministério do Trabalho e a montadora General Motors não conseguiram chegar a nenhum acordo sobre a possível demissão em massa de 1.500 funcionários da montadora e, por isso, os empregados ameaçam fazer greve na unidade fabril, de São José dos Campos.

Ontem, os colaboradores da GM, de São José, cruzaram os braços por duas horas e já  protocolaram no sindicato a intenção da  greve. Segundo a associação, a paralisação pode começar nas próximas 24 horas, mas é bom provável que as mobilizações se intensifiquem na na segunda-feira.

“As demissões representam o descumprimento do acordo firmado pelas montadoras com o Governo Federal. Quando foi anunciado o pacote de incentivos fiscais para o setor, o Ministério da Fazenda determinou que as indústrias beneficiadas não poderiam demitir”, afirmou o sindicado, em comunicado.

Motivo

A GM está descontinuando a produção do modelo Zafira e, dessa formar, vai fechar o setor de montagens de veículos automotores, da unidade de São José dos Campos. De acordo com o sindicato, no último mês, mais de 350 funcionários foram demitidos por meio do programa de demissão voluntária (PDV), da montadora. 

Na reunião de ontem, de acordo com o sindicato, a GM insistiu no argumento de que o mercado é que irá definir o futuro da planta de São José. Um novo encontro entre a montadora e a associação está marcado para a próxima terça-feira.