FBI investiga se Uber usou software para interferir em rivais

As suspeitas são de que a empresa criou contas falsas na Lyft para pedir corridas, possibilitando o monitoramento dos valores das corridas do concorrente

O FBI está investigação se a Uber Technologies utilizou softwares para interferir ilegalmente em seus concorrentes, noticiou o jornal The Wall Street Journal nesta sexta-feira.

A investigação está focando em um programa da Uber, conhecido internamente como “Hell”, que poderia rastrear motoristas que trabalham para a rival Lyft, disse o jornal, citando pessoas familiarizadas com a investigação.

Sob o programa, que foi descontinuado no ano passado, a Uber criou contas de passageiros falsas na Lyft para solicitar corridas, possibilitando o monitoramento dos motoristas próximos e dos valores das corridas de seu concorrente, disse o The Wall Street Journal.

O software também permitia que a Uber obtivesse dados sobre motoristas trabalhando para as duas empresas e pode ter permitido que os motoristas fossem incentivados financeiramente a deixar a Lyft, acrescentou o WSJ.

A questão fundamental para os investigadores é se o programa abrangia o acesso não autorizado a um computador, disse o jornal.

A Uber não estava imediatamente disponível para comentários.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s