Exportação da JBS na Argentina sobe 7% em 2016

A empresa informou ainda nesta quinta-feira que conta com a abertura de novos mercados para consolidar sua liderança na nação sul-americana

A unidade da JBS na Argentina elevou em 7 por cento suas exportações de carnes e produtos processados em 2016 na comparação com 2015, com a companhia realizando investimentos no país após medidas menos restritivas a vendas externas terem sido adotadas pelo governo Mauricio Macri.

A empresa, que recebeu em dezembro reconhecimento do governo da Argentina como maior exportadora da indústria frigorífica no país, informou ainda nesta quinta-feira que conta com a abertura de novos mercados para consolidar sua liderança na nação sul-americana.

“Temos investido na região o equivalente a 40 milhões de dólares para aumentar a nossa capacidade de produção no país. Em relação aos processados, por exemplo, já tivemos uma ampliação na capacidade de produção de salsichas, nuggets e hambúrgueres”, afirmou o coordenador Regional para o Cone Sul da JBS e presidente da JBS Argentina, Gustavo Kahl, em nota.

A brasileira JBS, maior produtora global de carnes, está presente na Argentina desde 2005 e é líder de mercado com uma planta frigorífica em Rosário, em Santa Fé, e um centro de distribuição em Buenos Aires.

O executivo afirmou ainda que tem expectativa de abertura de novos mercados como os Estados Unidos –esperada para o primeiro trimestre deste ano–, e que vê uma recomposição do rebanho bovino, além de uma evolução da produtividade no país.

A JBS Argentina tem capacidade de abate de 500 mil cabeças por ano em sua planta de Rosário e envia 30 por cento de sua produção de carne bovina in natura para China, Chile, Europa e Israel –que representam 90 por cento das exportações da empresa.

A companhia brasileira está presente em mais de 20 países, com plataformas de produção ou escritórios comerciais.