EUA dão luz verde à fusão entre Dow Chemical e DuPont

Autorização dos Estados Unidos era o último obstáculo importante que restava superar para concretizar a operação

Os Estados Unidos deram luz verde nesta quinta-feira à fusão dos grupos agroquímicos Dow Chemical e DuPont.

A autorização dos Estados Unidos era o último obstáculo importante que restava superar para concretizar uma operação que dará origem a um gigante com valor em bolsa de 150 bilhões de dólares.

O Departamento de Justiça (DoJ) aprovou a transação, que tinha sido validada pela União Europeia e pela China, embora ainda deva ser ratificada por um tribunal.

Satisfeitos com a notícia, Dow Chemical e DuPont afirmaram em um comunicado que avançam rumo a finalizar sua fusão em agosto, na data prevista.

“Passamos nesta prova nos Estados Unidos, estamos bem encaminhados para finalizar nossa fusão”, afirmou Ed Breen, CEO da DuPont, citado no comunicado.

O DoJ exige a ambos os grupos a cessão de ativos quase idênticos aos exigidos pela Comissão Europeia, que deu seu aval à fusão em março.

A DuPont aceitou vender parte importante de sua seção de pesticidas, inclusive sua estrutura mundial de pesquisa e desenvolvimento.

A companhia vai se desfazer do herbicida de marca Finesse e do inseticida Rynaxypyr, dois produtos que responderam no ano passado a um volume de negócios de 100 milhões de dólares, indicou o DoJ.

A Dow Chemical, por sua vez, venderá sua participação nos copolímeros ácidos e nos de iononas.

A fusão dará origem à DowDuPont, que será o número dois mundial em sementes e no número três dos produtos fitossanitários.