Embraer é novamente denunciada por suborno

A acusação é feita depois do acordo, no valor de US$ 205 mi, assinado na segunda-feira entre a companhia aeroespacial brasileira e autoridades americanas

Um ex-funcionário da companhia petrolífera pública da Arábia Saudita Aramco recebeu suborno em troca da compra de aeronaves da brasileira Embraer SA, anunciou nesta sexta-feira a empresa saudita.

A acusação é feita depois do acordo, no valor de 205 milhões de dólares, assinado na segunda-feira entre a companhia aeroespacial brasileira e autoridades americanas no âmbito de um caso por denúncias de subornos na República Dominicana, Arábia Saudita e Moçambique.

De acordo com um comunicado conjunto do Departamento de Justiça americano e da Comissão de Segurança e Comércio (SEC), os subornos denunciados incluem 1,7 milhão de dólares para um funcionário de uma empresa estatal saudita na compra de três aeronaves por 93 milhões.

“A investigação interna da Aramco mostrou que um ex-funcionário da empresa saudita esteve envolvido ao receber suborno em troca de facilitar a compra de três aviões da Embraer”, disse a companhia em um comunicado.

A companhia petrolífera “cessou todas as futuras negociações com a Embraer” e iniciará uma ação legal contra a empresa brasileira após a conclusão do inquérito em curso.