DreamWorks, de Spielberg, vai demitir 500

O número representa cerca de 25% do quadro de funcionários

Los Angeles – Os estúdios DreamWorks Animation, cofundados por Steven Spielberg, anunciaram nesta quinta-feira a demissão de 500 funcionários, cerca de 25% do quadro, além da redução na produção.

A companhia informou que, de três filmes por ano, como agora, passará a fazer dois nesse período.

“A principal prioridade da DreamWorks Animation é obter êxito em nível criativo e financeiro”, afirmou, em nota, o também cofundador da empresa Jeffrey Katzenberg.

“Acredito em que este plano estratégico produzirá bons filmes, conseguirá melhores bilheterias e aumentará os ganhos da empresa”, defendeu.

Depois dessa reestruturação, após o fracasso de “As aventuras de Peabody e Sherman” e de “Turbo” (lançados no ano passado), o lucro bruto do quarto trimestre de 2014 deve chegar a US$ 290 milhões.

Agora, a DreamWorks vai se concentrar nas seis animações previstas para os próximos três anos: “Kung Fu Panda 3” e “Trolls” (2016); “Boss Baby” e “Os Croods 2” (2017); e “Larrikins” e “Dragons 3” (2018).

Criado em 2000 por Spielberg, Katzenberg e David Geffen, DreamWorks Animation é o maior estúdio de animação independente de Hollywood, com entre 1.950 e 2.200 funcionários.