Taxa de câmbio favorável: é hora daquela viagem de intercâmbio

A queda da cotação do dólar já mostrou reflexos positivos no mercado de turismo internacional. Agências de viagem de todo Brasil vêm sentindo o reflexo disso com aumento da procura por pacotes para o exterior.

Mas esse não é o único efeito da taxa de câmbio mais favorável. Para quem estava esperando o momento ideal para se matricular em um programa de intercâmbio, esse pode ser o sinal verde.

Fazer um intercâmbio no exterior significa novas experiências, culturas diferentes, um novo idioma a aprender e oportunidades acadêmicas e profissionais. Nos últimos anos, porém, com a alta na cotação do dólar, o investimento necessário aumentou e afugentou muitos estudantes. Ou pelo menos causou mudanças nos planos, principalmente quem tinha os Estados Unidos como destino principal, passou a buscar roteiros alternativos onde a moeda é mais barata.

Com a recente redução na taxa de câmbio e desvalorização do dólar, o mercado de intercâmbio voltou a aquecer.

O Canadá continua como destino preferido entre os brasileiros, de acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta). Uma pesquisa feita com 135 agências de intercâmbio e mais de 1.900 entrevistados indicou que 72% dos estudantes preferem o país. Apesar do frio, a segurança, a qualidade de vida e a cotação do dólar canadense mais baixo do que o americano favorecem a opção.

Além do Canadá, outros países também são preferidos pelos estudantes para viagens de intercâmbio como a Austrália, Nova Zelândia, Croácia, Polônia e África do Sul, entre outros.

Bolsas de intercâmbio grátis no exterior

Além da facilidade promovida pelo dólar em baixa, também é possível fazer um intercâmbio gratuito, sem precisar gastar nada do seu bolso. Ou quase nada.

Diferentes instituições privadas e governamentais oferecem bolsas de intercâmbio a alunos com bom desempenho em seus cursos. As vagas são limitadas e disputadas corpo a corpo. Aqueles que tiverem as melhores notas, boa frequência e um bom currículo acadêmico conseguem bolsas que financiam os custos, com preferência para alunos com dificuldade financeira.

Fazer intercâmbio nos Estados Unidos é o sonho de muita gente. O que poucos sabem é que existem opções para fazer intercâmbio grátis na Califórnia, em cidades como San Diego, San Francisco e Los Angeles, que tanto atraem turistas e estudantes de todo o mundo.

Segundo uma matéria publicada pelo site Quero Viajar Mais, os programas de intercâmbio em escolas gratuitas de inglês na Califórnia são pouco conhecidos, mas existem. E o melhor é que não é preciso ter visto de estudante para conseguir se matricular.

Mas se o intercâmbio grátis não rolar, outra dica é optar por um país onde seja possível trabalhar legalmente, como Irlanda, Austrália e África do Sul. Agências de intercâmbio oferecem vários programas que combinam estudo e trabalho. A maioria das oportunidades é restrita a estudantes universitários e, quanto maior o domínio do idioma local, maiores são as chances de achar uma vaga bem remunerada.

Mas se você prefere não trabalhar e não quer gastar muito durante o seu intercâmbio, uma boa dica do site EKONOMISTA é optar por um intercâmbio em um destino não tão procurado que, além de ter um melhor custo-benefício, pode render experiências únicas.

Confira alguns destinos interessantes para sua viagem de intercâmbio:

Intercâmbio na África do Sul – Cidade do Cabo e Joanesburgo

Algumas cidades como Johanesburgo e Cidade do Cabo são cheias de história e oportunidades culturais e profissionais. O valor de um intercâmbio na África do Sul é bem mais barato que um intercâmbio nos EUA. Além disso, o país ainda permite que o estudante trabalhe durante os estudos.

Intercâmbio na China – Pequim

Destino normalmente escolhido por quem já possui o inglês fluente, Pequim é uma ótima opção para aprender o mandarim, um idioma que, atualmente, abre muitas portas no meio profissional, uma grande oportunidade de incrementar o currículo. A China é um mundo completamente novo com costumes culinários e estilo de vida que não estamos acostumados, um lugar para quem topa uma aventura.

Intercâmbio em Malta

Quem não gostaria de fazer intercâmbio e curtir férias paradisíacas pagando pouco? Malta é um arquipélago no mar Mediterrâneo formado por cinco ilhas: Malta, Gozo, Comino, Cominetto e Filfla. Com um clima perfeito, belezas naturais e baixo custo de vida, Malta é um excelente destino para aprender inglês. E o melhor, não precisa de visto.

Como Levar Dinheiro para o Intercâmbio

A principal dica em relação a dinheiro para quem vai fazer uma viagem de intercâmbio é administrar a grana em cash (na moeda local), no cartão pré-pago e no cartão de crédito. É sempre importante levar uma quantia em dinheiro vivo para as despesas diárias, como refeições, transporte e para utilizar naqueles lugares que não aceitam cartões.

“Seja em dólar americano, dólar canadense, dólar australiano, euro ou libra, ou outra moeda de outro país, é sempre importante começar a planejar a viagem com antecedência e ficar atento às taxas de câmbio para aproveitar sempre a melhor cotação na hora de comprar a moeda do país que você vai viajar”, afirma Leonardo Abrão Filho, diretor do site de comparação de taxas de câmbio Cambiar .

Mas além da mala, existem várias maneiras seguras para levar dinheiro para a viagem sem correr risco de perder ou de ser roubado. Pela comodidade e segurança que oferecem e pela possibilidade de carregar valores também no exterior, os cartões pré-pagos internacionais, como Visa Travel Money (VTM) , são os preferidos pelos estudantes. Outra grande vantagem é que o VTM é aceito em 14 milhões de estabelecimentos comerciais e em mais de 840 mil caixas eletrônicos presentes em 150 países. Apesar dos benefícios, os cartões pré-pagos precisam ser utilizados com cuidado porque a cada saque é cobrada uma taxa que varia conforme a bandeira do cartão.
Website: https://www.cambiar.com.br/blog/2016/07/21/taxa-de-cambio-turismo-favoravel-viagem-de-intercambio/