Produtividade do trabalhador brasileiro é até quatro vezes menor do que a produtividade do americano e até sete vezes menor do que a do trabalhador chinês.

Segundo o Conference Board, uma organização americana que reúne pesquisadores e cerca de 1.200 empresas públicas e privadas de 60 países, a produtividade do trabalhador brasileiro é consideravelmente mais baixa do que a produtividade de trabalhadores de países como Estados Unidos, China, Alemanha e Índia. Ainda de acordo com essa mesma organização, ao final de 15 anos, um trabalhador chinês terá produzido 422% a mais do que um trabalhador brasileiro.

Mas quais são os motivos disso? A culpa é dos trabalhadores?

De certa forma, não. Um dos principais motivos para essa produtividade ser mais baixa é a dificuldade de acesso à tecnologia e à infra-estrutura no Brasil. Sem as ferramentas certas, apesar de ter capacidade para produzir mais, o trabalhador gasta muito mais tempo na execução de tarefas.

Levando isso em conta, dois empreendedores de Maceió decidiram criar uma ferramenta acessível que ajudasse na produção de inúmeras classes de trabalhadores.

Esta ferramenta é uma fábrica de documentos online, cuja ideia foi concebida por Paulo Tenório e Jorge Henrique, dois empreendedores que, depois, de experiências de trabalho no exterior, perceberam que era possível mudar a rotina de trabalho de muita gente aqui no Brasil.

Surgiu então o Trakto, uma plataforma de produção de documentos, apresentações, contratos, ebooks e até currículos.

A plataforma, que funciona totalmente online, disponibiliza modelos de documentos de encher os olhos, desenvolvidos pelos melhores designers do país. E além de bonitos, os modelos são totalmente custamizaveis, e permitem a inserção de imagens, vídeos, textos e gifs. Tudo simples, intuitivo e fácil de usar, sem exigir nenhum conhecimento prévio em design.

Mas as questões dessa produtividade não param por aí.

Outro fator para a baixa produtividade brasileira é a cultura de valorização do trabalho, que geralmente não é pauta no sistema de educação do país. Vamos ao exemplo:

Em um mês, uma pessoa trabalha em média, 200 horas. (8 horas por dia, 5 dias por semana)

Vamos dizer que esta pessoa fature R$5.000,00 .

Fazendo uma conta rápida, o valor por hora desse trabalhador é: R$5000/200 = R$25 por hora. Ou seja, cada hora passada no escritório é valiosa. Cada minuto vale. E muitos trabalhadores ainda estão perdendo dinheiro preso a ferramentas antigas, desconectadas e que o fazem criar um processo repetitivo sem inteligência.

Apesar disso, ainda não existe uma cultura forte no Brasil de investimento em ferramentas de trabalho. É comum que uma pessoa gaste R$30,00 em um hambúrguer, porém, a resistência de investimento desse mesmo valor em ferramentas online ainda é grande.

Por isso, os criadores da ferramenta ressaltam: “A cultura de que existe um software gratuito ou que o Microsoft Ofiice pirata que você sempre usou é o caminho, mais atrapalha você do que lhe ajuda.

Por acreditar nisso, criamos o Trakto. Sim somos uma empresa e queremos vender. Mas a diferença está em que antes queremos te ajudar a entender o poder de ferramentas online e principalmente que software não é custo. É investimento!”
Website: http://www.trakto.io