Jovens escritores de Fantasia independentes conquistam leitores em plataforma alternativa de Livros

Publicar um livro já foi mais difícil no Brasil. Com o advento das ferramentas de escrita online, escritores independentes se arriscam a comercializar suas obras em e-book, conquistando leitores a um clique de distância. Esse é o caso de Camila Guerra, que lançou seu primeiro livro “A Última Chave” em janeiro do ano passado com uma meta modesta de vender 100 exemplares. Em um ano, a autora não apenas superou as próprias expectativas, como também lançou seu segundo livro “As Flechas de Tarian”, o primeiro de uma trilogia mitológica, que trata da busca de um homem por sua identidade após sofrer um trágico acidente.

O exemplo de Camila Guerra não é único e tem se tornado mais frequente a opção de autores em estrear no mercado literário de forma independente. Embora a livraria tradicional prossiga a ser o principal canal a influenciar o hábito da leitura, os espaços de autopublicação se transformaram em uma fértil vitrine para que autores até então desconhecidos lancem suas obras e comecem a conquistar o seu público-alvo.

O paulista Raigor Ferreira, 22 anos, viu a possibilidade de lançar suas obras na Amazon e decidiu publicar um conto apenas como teste no segundo semestre do ano passado. O resultado foi que, após alguns meses, o conto de fadas sobre um príncipe tímido e frio que congelou com o passar do tempo repercutiu em massa entre blogueiros literários, atraindo leitores e alcançando as primeiras posições na lista dos Mais Vendidos da seção de infanto-juvenis da Amazon.

Atualmente, Raigor se dedica a escrever um livro a partir do conto “O Príncipe Congelado”, que continua disponível em e-book. “Eu vejo as pessoas tão interessadas em A Seleção. Mesmo assim, cheguei a pensar que histórias de príncipes e princesas tradicionais já estavam ultrapassadas quando publiquei O Príncipe Congelado” conta o autor.

A auto publicação também foi a fórmula encontrada por Rodrigo Assis, autor da série “Brasil Cyberpunk 2115”, que já está com seu segundo volume “Brasil Cyberpunk: Recall” publicado na Amazon. O autor explora um cenário nacional distópico que envolve teorias da conspiração e um governo opressor em uma narrativa episódica que terá mais dois volumes publicados na plataforma.

Casos como os de Camila, Raigor e Rodrigo provam que a publicação e a entrada no mercado literário nunca estiveram tão acessíveis como agora.