Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Gartner identifica as 10 Principais Tendências Tecnológicas Estratégicas para 2017

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, destaca as principais tendências tecnológicas que serão estratégicas para a maioria das empresas em 2017. Os analistas do Gartner apresentaram suas análises durante o Simpósio do Gartner/Expo TI, que aconteceu em outubro, em São Paulo.

O Gartner define como uma tendência tecnológica estratégica a que tenha um potencial disruptivo importante e que apenas está começando a sair de um estado emergente para um impacto e um uso maiores ou que sejam tendências de rápido crescimento, com um alto grau de volatilidade, alcançando pontos cruciais nos próximos cinco anos.
“As 10 principais tendências tecnológicas estratégicas do Gartner para 2017 preparam o cenário para a Malha Digital Inteligente”, afirma David Cearley, vice-presidente e membro do Gartner.

As 10 principais tendências tecnológicas estratégicas para 2017 são:

AI e Aprendizagem Avançada da Máquina – Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (ML) estão compostos por muitas tecnologias e técnicas, que ultrapassam cada vez mais os algoritmos tradicionais baseados em regras para criarem sistemas que entendam, aprendam, prevejam, adaptem e, possivelmente, operem de forma autônoma. Isso é o que faz as máquinas inteligentes parecerem “inteligentes”.
“A AI aplicada e a aprendizagem avançada da máquina fazem surgir um espectro de implementações inteligentes, que serão entregues como sendo uma nova classe de aplicativos e coisas obviamente inteligentes, assim como entregarão uma inteligência incorporada para uma ampla variedade de dispositivos de malha e soluções existentes de software e serviços”, afirma Cearley.

Aplicativos Inteligentes – Os aplicativos inteligentes como os VPAs realizam algumas das funções que um assistente humano faria todos os dias tornar-se mais fácil (priorizar e-mails, por exemplo), e seus usuários mais eficazes (destacando o conteúdo e as interações mais importantes). Outros aplicativos inteligentes como os assistentes virtuais do cliente (VCAs) são mais especializados para realizar tarefas em áreas como vendas e serviço ao cliente.

Coisas Inteligentes – As coisas inteligentes se referem às coisas físicas que vão além da execução de modelos de programação rígidos para explorarem a AI aplicada e a aprendizagem de máquinas para comportamentos mais sofisticados e interação com mais naturalidade no ambiente que os cerca e com as pessoas. O Gartner antecipa uma mudança das coisas inteligentes autônomas para um modelo colaborativo da inteligência das coisas.

Realidade Virtual e Aumentada – As tecnologias absorventes, como a realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR), transformam a forma como os indivíduos interagem uns com os outros e com os sistemas de software. “O cenário do consumidor imersivo e do conteúdo comercial e dos aplicativos irá evoluir dramaticamente ao longo de 2021”, afirma Cearley.

Gêmeo Digital – Os gêmeos digitais incluem uma combinação de metadados, condições ou estado, dados sobre o evento e a análise. Dentro de três a cinco anos, centenas de milhões de coisas irão ser representadas por gêmeos digitais, que serão usados para reparar, de forma proativa, e planejar o serviço do equipamento, para planejar os processos de fabricação, operar fábricas, prever a falha de equipamentos ou aumentar a eficiência operacional, e realizar um desenvolvimento melhor de produtos.

Blockchain e Registros Distribuídos – Blockchain é um tipo de registro distribuído no qual as transações de troca de valores (em Bitcoin ou outras moedas) são sequencialmente agrupadas em blocos. Os conceitos de Blockchain e registros distribuídos estão ganhando força, pois prometem transformar os modelos operacionais da indústria. “Os registros distribuídos são potencialmente transformativos, porém, a maior parte das iniciativas ainda está na fase de testes alfa ou beta”, afirma Cearley.

Sistemas Conversacionais – O foco atual para interfaces conversacionais está voltado para chatbots e para aparelhos habilitados por microfones. No entanto, a malha digital abrange um conjunto cada vez maior de pontos que as pessoas usam para acessar aplicativos e informações, ou interage com pessoas, comunidades sociais, governos e negócios. A medida que a malha do dispositivo se desenvolve, os modelos de conexão irão se expandindo e surgirá uma maior interação cooperativa entre os dispositivos, criando a base para uma nova experiência digital contínua e real.

Aplicativo de Malha e Arquitetura de Serviços – No aplicativo de malha e na arquitetura de serviços (MASA), os aplicativos móveis, para a web, para desktop e para a IoT se conectam a uma malha ampla de serviços de retaguarda para criarem o que os usuários enxergam como um “aplicativo”. A arquitetura encapsula os serviços e expõe APIs em vários níveis e ao longo das barreiras organizacionais, equilibrando a demanda por agilidade e aumento de serviços com uma composição e reuso de serviços. A MASA permite que os usuários tenham uma solução otimizada para os endpoints alvo na malha digital, assim como uma experiência contínua a medida que eles transitam nesses diferentes canais.

Plataformas de Tecnologia Digital – Fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital. O Gartner identificou os cinco pontos principais que permitem as novas capacidades e os modelos comerciais do negócio digital — sistemas de informação, experiência do cliente, análise e inteligência, a IoT e os ecossistemas comerciais. Cada empresa terá uma mescla dessas cinco plataformas de tecnologia digital. As plataformas fornecem os alicerces básicos para um negócio digital e são um facilitador importante para a criação de um negócio digital.

Arquitetura de Segurança Adaptável – A malha inteligente digital e as plataformas de tecnologia digitais inteligentes relacionadas e as arquiteturas do aplicativo criam um mundo cada vez mais complexo para a segurança. “O usuário do monitoramento e o comportamento da entidade são uma adição crítica particularmente necessária nos cenários da IoT. No entanto, a vantagem da IoT é ter uma nova fronteira para muitos profissionais de segurança em TI criando novas áreas de vulnerabilidade e, normalmente, requerendo novas ferramentas e processos de correção que devem ser levados em conta nos esforços da plataforma da IoT”, afirma Cearley.