Empresário Flavio Maluf explica a importância da criatividade para o sucesso do empreendedor

No mundo dos negócios, o trabalho pesado e constante é valorizado como um princípio para o sucesso, mas é possível que a realidade seja diferente. As pessoas acreditam que, caso acordem cedo e se disponham a fazer tudo aquilo que precisam, serão recompensadas e obterão aquilo que desejam, mas ignoram a importância da criatividade para seus empreendimentos. Seria suficiente apenas um intenso esforço mecânico para se atingir o êxito, ou será preciso procrastinar um pouco para se alcançar as boas ideias?

O empresário Flavio Maluf explica que procrastinar pode levar ao comprometimento com o trabalho que se deve realizar e que se adia. Assim, no lugar de simplesmente encarar o problema como algo a ser resolvido, é comum que se dedique muito tempo pensando nele, nas melhores formas de abordá-lo, em soluções criativas, inteligentes e superiores. É nesse sentido que Grant, em seu livro The Originals, menciona a pesquisa de um psicólogo russo que afirma o fato de, quando uma pessoa termina uma tarefa, ela deixar de pensar nela, informa Flavio Maluf. Por outro lado, uma tarefa inacabada permanece ativa na mente. Por fim, isso significa que o atraso no cumprimento de um dever pode levar a uma maior aplicação de tempo no encargo, que seria realizado com maior excelência. Grant invoca alguns grandes nomes para comprovar sua teoria.

Indivíduos internacionalmente conhecidos por seus feitos eram procrastinadores. Caracterizado por atrasar frequentemente com o cumprimento de suas obrigações, Steve Jobs, um dos mais notáveis empreendedores na informática da atualidade, utilizava do seu tempo para o desenvolvimento de sua criatividade, relata Flavio Maluf. Enquanto sua equipe ficava desorientada, sem saber ao certo como reagir ao que parecia ser uma falta de comprometimento de Jobs, ele constantemente se retirava para pensar, buscando o que seria o diferencial de sua empresa, aquilo que o faria superar seus concorrentes. Seu tempo não foi desperdiçado, assim como também não foi o de muitos outros.

Em um texto publicado no New York Times, Grand apoia suas convicções ao citar pessoas admiradas. Ele assegura que Bill Clinton, homem que assumiu por duas vezes a presidência dos Estados Unidos, também compartilhava desse hábito. Clinton esperaria até o último instante para revisar seus discursos, causando grande preocupação, noticia Flavio Maluf. Aaron Sorkin, roteirista da série The West Wing, também é adepto da procrastinação, e foi além ao responder seus críticos, dizendo :”Você chama de procrastinar. Eu chamo de pensar.” É, talvez procrastinar seja trabalhar com os pensamentos.

A cenário de alta competitividade no mundo dos negócios é uma realidade a ser encarada e a criatividade é indispensável para o sucesso. Formas mais eficientes para a resolução dos problemas devem ser pensadas, sendo necessário a dedicação de tempo para a procrastinação, informa Flavio Maluf. Muitas pessoas bem sucedidas já reconheciam a importância das boas ideias para as empresas, como Steve Jobs, mas é fundamental não esquecer também da realização das obras. Caso se adie por muito tempo a efetuação dos planos, é possível que nunca se conquiste nada.
Website: http://flaviomaluf.com/