Deutsche Bank deve sofrer multa por atuação no câmbio, diz fonte

O banco declarou na 2ª que a Justiça dos EUA encerrou investigação sobre suas atividades de negociação de moedas sem tomar qualquer medida

Nova York/Washington – O banco central dos EUA e o Departamento de Serviços Financeiros de Nova York provavelmente multarão o Deutsche Bank pela conduta no mercado de câmbio, segundo uma pessoa a par do assunto.

O banco alemão declarou na segunda-feira que o Departamento de Justiça dos EUA encerrou uma investigação sobre suas atividades de negociação de moedas sem tomar qualquer medida.

Contudo, autoridades reguladoras estão no estágio final da revisão sobre essa conduta para definir se o banco deve pagar multas e quanto, segundo a fonte.

O banco central (Federal Reserve) concluiu a investigação e a autoridade reguladora de bancos de Nova York está prestes a terminar seu processo, de acordo com a pessoa.

O Deutsche Bank já superou a maioria de seus problemas jurídicos nos EUA. Nos últimos dois anos, a instituição fez acordos com o Departamento de Justiça para encerrar acusações de manipulação de taxas de juros e venda de instrumentos hipotecários tóxicos.

Separadamente, o banco também fez acordos com o Departamento de Serviços Financeiros de Nova York em relação a violações de sanções e “negociações espelhadas” que retiraram bilhões de dólares da Rússia.

O banco também pagou uma penalidade civil de US$ 2,5 milhões à Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) por não relatar transações com swaps.

O banco não precisa mais lidar com a investigação do Departamento de Justiça sobre o câmbio, mas a agência que representa o governo federal em Manhattan continua a investigar violações de sanções e o caso na Rússia.

Dawn Dearden, porta-voz dessa agência, se recusou a falar sobre o status da investigação. Porta-vozes do Deutsche Bank, Federal Reserve e Departamento de Serviços Financeiros também se recusaram a comentar.

Investigação no câmbio

O Departamento de Serviços Financeiros iniciou a investigação sobre as atividades cambiais de Deutsche Bank e Barclays em 2014, focando na conduta usada em suas plataformas eletrônicas de negociação.

A agência acabou expandindo a investigação para quatro outros bancos que operam nos EUA com licença estadual: Goldman Sachs Group, BNP Paribas, Credit Suisse Group e Société Générale. Goldman Sachs e Credit Suisse se recusaram a comentar e os outros bancos não retornaram contato da reportagem.

As investigações de agentes da lei e autoridades reguladoras se sobrepuseram e envolveram diversos grandes bancos.

Cinco admitiram culpa em 2015 na investigação do Departamento de Justiça sobre negociação de câmbio: Citigroup, JPMorgan Chase, Barclays, Royal Bank of Scotland Group e UBS Group.

O Deutsche Bank foi o maior participante do mercado de câmbio a escapar de medidas do Departamento de Justiça. O banco ainda precisa lidar com um processo civil movido contra si e outros 15 bancos.

No processo que corre em um tribunal de Manhattan, a acusação alega manipulação de taxas de câmbio em salas de bate-papo online, nas quais 22 moedas teriam sido discutidas.