Comgás lucra R$ 220,9 milhões no 1º tri, alta de 337,5%

O Ebitda da companhia foi de R$ 520,47 milhões entre janeiro e março, alta de 103,6% frente ao reportado no mesmo intervalo do ano passado

São Paulo – A Companhia de Gás de São Paulo (Comgás), distribuidora de gás natural com atuação no mercado de São Paulo, anotou lucro líquido de R$ 220,97 milhões no primeiro trimestre de 2016, aumento de 337,5% ante igual período de 2015.

O Ebitda da companhia foi de R$ 520,47 milhões entre janeiro e março, alta de 103,6% frente ao reportado no mesmo intervalo do ano passado.

A companhia também divulgou os resultados normalizado pela conta corrente regulatória. Por esse critério, o lucro líquido cresceu 10,6% nos primeiros três meses do ano ante igual etapa do exercício anterior, para R$ 93,3 milhões.

Já o Ebitda foi de R$ 323 milhões no período, com alta de 8,2% na mesma base de comparação.

A conta corrente regulatória leva em consideração as diferenças entre o custo de gás pago aos fornecedores e o custo de gás contido nas tarifas da Comgás.

Essa diferença é acumulada na conta corrente regulatória e repassada aos clientes, para mais ou para menos.

Os resultados foram influenciados pelos menores custos de gás e transporte, e também pelas despesas com vendas, gerais e administrativas mais baixas.

Os custos de gás e transporte – excluídos os custos de construção e outros – caíram 28,7%, refletindo a queda do volume e também a redução do custo unitário médio do gás, como resultado da redução do preço do barril de petróleo, utilizado como indexador nos contratos de compra de gás existentes.

Já as despesas com vendas, gerais e administrativas totalizaram R$ 111 milhões entre janeiro e março, o que corresponde a uma queda de 10,3% em relação ao mesmo período de 2015, reflexo, principalmente, da redução das despesas com pessoal e pelo maior controle das despesas gerais e administrativas, informou a distribuidora.

A receita líquida da Comgás recuou 4,8% no trimestre, sobre o mesmo intervalo de 2015, para R$ 1,5 bilhão, impactada principalmente pela queda de 18,7% no volume de vendas no comparativo trimestral.

Conforme destacou a Comgás, o recuo da receita só não foi menor devido ao melhor mix de vendas, por conta do crescimento dos volumes residencial e comercial, e ao aumento nas tarifas de vendas.

O resultado financeiro líquido encerrou os três primeiros meses do ano em R$ 96,1 milhões negativos, alta de 29,9% em relação ao resultado do mesmo período do ano passado.

Conforme explicou a companhia, a variação é explicada principalmente pelas maiores taxas de juros de 2016, juntamente com um maior endividamento bruto.