Chinês dono do app gay Grindr paga US$ 1,14 bi em divórcio

Zhou transferiu 278 milhões de ações de sua empresa, no valor de US$ 1,14 bilhão, para a sua ex-esposa Li Qiong

São Paulo – O bilionário chinês Zhou Yahui, dono do aplicativo gay de encontros Grindr, precisará pagar US$ 1,14 bilhão para a ex-esposa, em um dos maiores acordos de divórcio da história da China.

Ele havia comprado uma participação controladora de 60% no aplicativo em janeiro, por US$ 93 milhões, por meio de sua companhia Beijing Kunlun World Wide Technology Share Company. O restante das ações do aplicativo permaneceram com os funcionários e o fundador Joel Simkhai.

Com 39 anos, grande parte da fortuna de Zhou veio do desenvolvimento de jogos e aplicativos e hoje é chairman na companhia chinesa Kunlun. Os ativos combinados do casal eram de cerca de US$ 3,5 bilhões, segundo o levantamento chinês Hurun Report.

Segundo aa lei de divórcio chinesa, qualquer bem conseguido depois do casamento deverá ser dividido de maneira igual entre o casal.

Por isso, Zhou transferiu 278 milhões de ações de sua empresa, no valor de US$ 1,14 bilhão, para a sua ex-esposa Li Qiong, segundo comunicado da companhia.

Depois do acordo, a participação de Li na empresa, que era de apenas 1,8%, passará a ser de 26,4%. Zhou continuará sendo o maior acionista, com 34,5% de participação.