Chilena Falabella não comenta interesse na Via Varejo

O nome da chilena foi citado como um dos possíveis interessados na dona das Casas Bahia e Ponto Frio

Madri – O CEO Corporativo da varejista chilena Saci Falabella, Sandro Solari, não quis comentar eventual interesse da empresa na operação da Via Varejo e disse que ainda vê uma curva de aprendizagem no País.

“É um país claramente distinto. Há uma curva de aprendizagem. Cremos que podemos ser mais e melhores no País”, disse ele, durante o XVI Encontro Santander América Latina, evento organizado pelo banco na capital espanhola.

Sobre a venda da Via Varejo, o executivo afirmou que a empresa não comenta esse tipo de assunto. O nome da chilena foi citado em um dos possíveis interessados na dona das Casas Bahia e Ponto Frio juntamente com outros players como Lojas Americanas, BestBuy e Fnac.

A venda da Via Varejo, que tem o próprio banco Santander como assessor financeiro, ainda que seja um desejo do grupo francês Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar (GPA), estaria, porém, no aguardo de uma melhor oferta pelo ativo e ainda acertos burocráticos.

O CEO da Falabella destacou que a economia brasileira não performou bem nos últimos anos, mas que o País integra o plano de investimentos do Grupo.

A companhia fez seu grande investimento no Brasil em 2013, quando adquiriu o controle da rede de materiais de construção Dicicco. No início do ano, a Falabella anunciou um plano de US$ 4 bilhões entre os anos de 2017 e 2020 para potencializar sua presença na América Latina.

Solari, que participou ativamente da operação, disse que a rede visa a replicar o modelo chamado de Dicico Multi, novo formato que tem proposta de oferecer soluções e serviços e não apenas produtos, na rede da empresa no Brasil. Uma já foi inaugurada em São Miguel Paulista, São Paulo, e outras regiões que devem contar com o modelo como, por exemplo, em Guarulhos, próximo ao aeroporto internacional.