Cemig projeta receita de R$ 1,3 bi na Gasmig neste ano

O lucro líquido projetado para 2012 é de R$ 127,2 milhões, acima dos R$ 123,6 milhões do exercício anterior

São Paulo – A expectativa da Cemig é de que a empresa de distribuição do grupo, a Gasmig, alcance receita bruta de R$ 1,307 bilhão em 2012, acima do R$ 1,049 bilhão anotado em 2011. O Ebitda da companhia também deve apresentar evolução, passando dos R$ 177 milhões no ano passado para R$ 189,1 milhões neste ano. O lucro líquido projetado para 2012, por sua vez, é de R$ 127,2 milhões, acima dos R$ 123,6 milhões do exercício anterior.

Os dados foram apresentados nesta segunda-feira pelo diretor de Gás da Cemig, Fuad Jorge Noman Filho, durante o XVII Encontro Anual Cemig – Apimec, que se realiza nesta segunda-feira em Belo Horizonte. “Nossa expectativa é de que esse crescimento continue de forma vigorosa nos próximos anos”, disse o executivo.

Noman Filho destacou o potencial de ampliação do portfólio de negócios da companhia, tanto geograficamente quanto por meio de novos segmentos e produtos. A estimativa da companhia é de um potencial de vendas adicionais de 3 milhões de metros cúbicos diários até 2016. As vendas da distribuidora somaram 1,040,9 bilhão de metros cúbicos/dia em 2011 e a projeção é de um volume de 1,110 bilhão de metros cúbicos/dia neste no.

O executivo disse que parte significativa do crescimento virá de grandes projetos industriais, particularmente nos setores mineral, siderúrgico e metalúrgico. Além disso, a empresa planeja a interiorização da rede de distribuição.

Na mesma reunião o diretor presidente da empresa, Djalma Bastos de Moraes, disse que a Cemig deverá continuar prospectando e buscando ativos que agreguem valor à companhia.

“A procura de novos ativos que venham agregar valor à empresa deve ser uma constante, e isso vamos tentar fazer”, disse o executivo.

“Tivemos sucesso em algumas iniciativas e menos sucesso em outras”, acrescentou, comentando que a empresa tentou nos últimos dias adquirir um ativo de transmissão por meio da controlada Taesa. “Mas soube hoje que mais uma vez fomos vencidos pelo capital chinês, ficamos mais uma vez em segundo lugar”, disse, sem revelar qual era o ativo.