Casino tira Abilio Diniz do conselho do administração

A decisão é resultado dos desentendimentos criados pela tentativa frustrada de fusão entre o Pão de Açúcar, comandado pelo empresário, e o Carrefour no Brasil

Londres – A assembleia de acionistas do grupo varejista francês Casino aprovou na manhã desta sexta-feira a saída do empresário Abilio Diniz do conselho de administração do grupo. A decisão é resultado dos desentendimentos criados pela tentativa frustrada de fusão entre o Pão de Açúcar, comandado pelo empresário, e o Carrefour no Brasil. A proposta de exclusão de Diniz do conselho de administração havia sido elaborada em reunião dos administradores do Casino em 29 de março e, hoje, foi referendada pelos acionistas.

Além do empresário brasileiro, também foi retirado do conselho o presidente da Galeries Lafayette, Philippe Houzé, igualmente envolvido em conflitos com a rede varejista francesa. O mandato de todos os demais conselheiros foi renovado. Foi aprovada, ainda, a entrada de Sylvia Jay, presidente do conselho de administração da L’Oreal no Reino Unido e conselheira das empresas Lazard Ltd, Alcatel e Saint-Gobain. Segundo o Casino, o objetivo é elevar a representação feminina no órgão responsável pelas decisões estratégicas. O posto de Abílio ficará vago.

A assembleia do Casino teve quórum de 72% dos acionistas. Transmitido ao vivo pelo site do grupo, o evento começou às 5 horas (de Brasília) e foi encerrado às 7 horas. A votação da pauta ocorreu nos momentos finais, após uma série de apresentações feitas pelos executivos do grupo.

A assembleia também aprovou as contas do ano passado e a remuneração aos acionistas. Ao longo do encontro, foram descritos os resultados obtidos nos diversos mercados onde a rede francesa atua, como América Latina e Ásia. No caso do Brasil, a avaliação do desempenho foi positiva. Os executivos destacaram a continuidade da expansão das Casas Bahia e o fato de o grupo ser o segundo colocado em comércio eletrônico no País. “Queremos ser o líder em comércio eletrônico nos próximos anos”, apontaram.