California processa JPMorgan por fraude ao cobrar dívidas

Kamala Harris alegou que o banco "cometeu abusos em relação à cobrança de dívidas contra milhares de clientes da Califórnia"

O estado norte-americano da Califórnia apresentou uma ação nesta quinta-feira contra o JPMorgan Chase, acusando o banco de Wall Street de cometer abusos em relação a seus clientes do cartão de crédito e mau uso do sistema judicial.

A procuradora-geral da Califórnia, Kamala Harris, apresentou a ação no Tribunal Superior de Los Angeles, alegando que o banco “cometeu abusos em relação à cobrança de dívidas contra milhares de clientes da Califórnia”.

Eles “inundaram os tribunais da Califórnia com ações contra mutuários de cartões de crédito em débito com base em provas evidentemente insuficientes, apostando que os mutuários não teriam recursos ou meios legais para apontar o blefe”, disse Harris.

O banco apresentou mais de 100 mil ações contra portadores de cartões de crédito entre janeiro de 2008 e abril de 2011. Em apenas um dia, 1º de abril de 2010, foram 469 acusações, alegou o estado.

A procuradora-geral acusou o JPMorgan de assinatura automática ilegal, a prática de assinar documentos em massa sem determinar sua precisão e outras práticas ilegais para enviar um tsunami de ações para os tribunais estaduais.

“Meu escritório solicitará uma suspensão permanente para essas práticas e reparação para os mutuários que foram prejudicados”, disse Harris.

O JPMorgan não apresentou uma resposta imediata à acusação.