Braskem se recupera e lucra R$ 124 milhões no 2º tri

A receita líquida da petroquímica atingiu R$ 10,853 bilhões, 11% acima do verificado no segundo trimestre de 2013

São Paulo – A Braskem saiu de prejuízo no segundo trimestre de 2013 para lucro líquido de R$ 124 milhões no mesmo período deste ano.

Entretanto, em comparação com o primeiro trimestre de 2014, o resultado representa uma queda de 69%, ante os R$ 396 milhões de então.

O lucro líquido de R$ 124 milhões ficou 23% abaixo da projeção média dos analistas consultados pelo Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, (Ágora, BTG Pactual, Citi, Itaú BBA, Santander e Votorantim Corretora), que era de R$ 161,7 milhões.

A receita líquida da petroquímica atingiu R$ 10,853 bilhões, 11% acima do verificado no segundo trimestre de 2013, porém queda de 8% sobre o primeiro trimestre deste ano.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado soma R$ 1,130 bilhão no segundo trimestre, 6% maior do que em igual intervalo de 2013 e queda de 31% ante o dos primeiros três meses de 2014.

O aumento na comparação trimestral foi positivamente influenciado pelo patamar de spreads entre os períodos e a depreciação do real, como explica a companhia em relatório de resultados.

A margem Ebitda encerrou junho em 10,4%, abaixo de 13,8% no trimestre imediatamente anterior e de 10,9% há doze meses.

O Ebitda básico foi de R$ 1,132 bilhão, 9% abaixo do registrado no segundo trimestre de 2013 e 31% ante o primeiro trimestre. Em dólares, o Ebitda do trimestre atingiu US$ 507 milhões.

O resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 478 milhões, queda de 15% sobre os R$ 560 milhões e de 29% na comparação com o segundo trimestre de 2013. O Ebitda básico ficou em linha com o resultado esperado, de R$ 1,162 bilhão.

O Broadcast considera que o resultado está em linha com as projeções quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.

Utilização

A taxa média de utilização das centrais petroquímicas da Braskem no segundo trimestre foi de 84%, 1 ponto porcentual inferior ao primeiro trimestre deste ano.

A queda foi influenciada pela parada programada de manutenção em uma das linhas da operação de Triunfo (RS) e pelo menor suprimento de matéria-prima para a central do Rio de Janeiro, informou a companhia em seu relatório de resultados.

As vendas da Braskem no segundo trimestre deste ano atingiram 879 mil toneladas.

Na comparação com o segundo trimestre de 2013, que havia sido positivamente influenciado pela recomposição de estoques e pelo desempenho de determinados setores, como de infraestrutura, automotivo e de agronegócio, as vendas da companhia caíram 7%.

A demanda brasileira por resinas termoplásticas no segundo trimestre (PE, PP, PVC) foi de 1,311 milhão de toneladas, uma queda de 2,6% em relação ao trimestre anterior, refletindo a desaceleração da economia doméstica, acrescentou a Braskem.