BMW negocia flexibilização do IPI para investir no Brasil

A montadora alemã tem interesse em instalar uma fábrica no país. A alta do imposto prejudica a operação

Brasília/São Paulo – A BMW está negociando com o governo uma flexibilização do aumento do IPI cobrado de veículos importados para o caso de empresas que, como a montadora alemã, tenham interesse em instalar fábrica no Brasil.

“O pedido que é claramente feito ao governo é que existisse uma flexibilização para empresas que têm interesse em investir no Brasil”, disse o presidente da BMW do Brasil, Henning Dornbusch, após reunião com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

O executivo disse que a decisão da empresa de instalar uma fábrica no Brasil ainda não está tomada, mas está num patamar “forte”.

A companhia estuda desde o início do ano a instalação de uma fábrica no Brasil, que será a primeira da marca na América do Sul.

Em junho antes do anúncio da mudança do IPI em setembro, o presidente da BMW Brasil, Jorg Henning Dornbusch, afirmou que os planos caminhavam na direção de uma instalação em regime SKD, em que veículos semimontados são importados e finalizados no país. Na ocasião, o executivo comentou durante entrevista à Reuters que a expectativa de crescimento nas vendas no Brasil era de 25 por cento sobre 2010, para cerca de 10 mil carros.

Se confirmada, a fábrica da BMW no Brasil virá em meio a uma série de projetos de aumento de capacidade produtiva de marcas como Fiat, GM, Ford, Renault, Nissan, JAC e Chery.

A associação brasileira de montadoras, Anfavea, estimou no início do mês que as vendas de veículos no país vão crescer entre 4 e 5 por cento em 2012, após expansão de 5 por cento este ano, para um recorde entre 3,77 milhões e 3,81 milhões de unidades.

Segundo o executivo, a expectativa era tomar a decisão da nova fábrica no Brasil em novembro, mas, com a mudança no IPI, acabou sendo postergada.