BB pede ajuda a clientes jovens para inovar – em troca de viagem

O banco está conduzindo um concurso no qual convocou os correntistas que têm contas universitárias a sugerirem inovações para seu negócio

São Paulo – O Banco do Brasil quer a ajuda dos seus clientes mais jovens para desenvolver soluções que melhorem o seu negócio – em troca de uma viagem para o exterior.

O banco está conduzindo o concurso “Pensa Universitário”, no qual convocou os correntistas que têm contas universitárias a sugerirem inovações para três áreas: benefícios, vantagens e produtos; comunicação e ambiente de informação (espaço com conteúdo informativo para o público que está na faculdade).

As ideias podem ser registradas até o dia 27 de janeiro do ano que vem no site bb.com.br/conhecereinovar.

Serão lançados três desafios por tema. Os autores das duas melhores respostas para cada um deles serão premiados com uma viagem para fazer curso de inglês fora do Brasil. O anúncio dos vencedores será feito no dia 31 de janeiro de 2017.

A seleção será feita por executivos do banco e vai levar em conta a aderência à proposta, a originalidade, a relevância para o negócio e possibilidade de implementação.

O BB ficará com o direito de explorar (ou não) as ideias vencedoras em sua forma original ou com ajustes.

A iniciativa é derivada do programa Pensa BB, em que a empresa convida seus funcionários a criarem inovações.

Neste ano, ela lançou em seu mobile banking um recurso que permite aos clientes identificar as agências onde as filas estão menores, ideia que surgiu no projeto.

O banco também já fez um hackaton de tecnologia entre os integrantes da sua equipe.

Mais digital

O Banco do Brasil há algum tempo se esforça para se tornar mais digital, assim como seus concorrentes. Eles sofrem pressão das fintechs, startups que agregam tecnologia ao setor financeiro, que conquistam cada vez mais adeptos.

Recentemente, ele lançou uma conta de pagamentos que pode ser totalmente aberta e movimentada pelo celular. Também está transformando muitas de suas agências em digitais.

A companhia anunciou também que vai fechar 402 pontos de atendimento e demitir 18.000 funcionários, por meio de um plano de incentivo à aposentadoria.

O enxugamento da estrutura deve ocasionar uma economia de 750 milhões de reais por ano.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Daniel Xavier

    Que tal melhorar o atendimento, reduzir a demora, minimizar a burocracia, dá incentivos às empresas para que invistam. Há muito o que melhorar. No mais básico, deveria realizar uma consultoria em cada agência e averiguar is erros, já que os mesmos são gritantes.

  2. Walter Matos de Oliveira Jr

    Uma viagem em troca de ideias que farão o banco ganhar milhões! Igual ao spread. Premio chinfrin.

  3. Acho o Banco do Brasil como a Caixa econômica uma lixo. E so mandar os diretores vim para os Estados Unidos e fazer ficar numa agencia do Chase ou do Citibank por um dia e ver como funciona. E um atendimento de primeiro mundo. Eu não investiria no Banco no Brasil nem que Jesus Cristo pedisse a mim. Péssimo o atendimento. Com certeza com cidadão dos Estados Unidos eles nunca vao me ver na vida deles. Privatiza tudo, acho um bando de incompetentes.