Toyota cola adesivo de alerta em vez de trocar airbag defeituoso

Em vez de trocar equipamento com defeito, Toyota cola adesivo alertando para o perigo de o airbag ter sido desativado. Reparo leva até 60 dias

Em abril, a Toyota anunciou um megarecall por um defeito nos airbags Takata, que podem expelir fragmentos em caso de abertura.

O detalhe que chama mais atenção no comunicado da montadora japonesa é que o conserto no Corolla e no Etios será feito em duas etapas, uma de desativação e outra de substituição do equipamento.

Assim, os donos se perguntam o que acontecerá se, no intervalo em que o sistema estiver desligado, ocorrer um acidente?

Essa é a dúvida de proprietários como o empresário Cristiano Bezerra da Silva, de Taboão da Serra (SP), que tem um Corolla 2009.

“Recebi a carta comunicando o recall e, no dia 3 de março, levei o carro à concessionária. Ao pegá-lo, havia um adesivo de alerta no painel, alertando que o sistema estava desligado. A autorizada me avisou que a peça de reposição chegaria em 40 dias, pois não havia no estoque”, comenta Cristiano.

“Traba­lho com transporte executivo e os clientes, quando vêm o adesivo no painel, ficam indignados com o descaso da montadora.”

O adesivo de advertência é colado na primeira fase do recall, quando o airbag é desativado

O adesivo de advertência é colado na primeira fase do recall, quando o airbag é desativado (Christian Castanho/Quatro Rodas) (Getty Images)

E a situação de Cristiano nem é das piores: após uma consulta em concessionárias das cinco regiões do país, todas pediram 60 dias para fazer o conserto integral dos airbags.

Curiosamente, a Honda também está fazendo o mesmo recall nos seus Civic, porém o prazo médio pedido para a troca do airbag no sedã foi de uma semana – a concessionária que pediu mais tempo estimou 20 dias para a chegada da peça.

Segundo o especialista em direito do consumidor Agostinho Oli Koppe Pereira, a Toyota assume todos os riscos em caso de acidente quando desliga umequipamento como o airbag.

“Não há como eximir a responsabilidade da montadora, desde que fique provado que os danos poderiam ter sido evitados se o airbag estivesse em funcionamento.”

Consultada, a Toyota confirma o recall em duas fases e recomenda que os ocupantes usem os cintos de segurança, pois “constituem o principal dispositivo de segurança veicular”.

O povo reclama

“A troca da peça no meu carro demorou 45 dias. Durante esse tempo, a Toyota pediu para evitar usar o lado do passageiro.” Leandro Tonussi, Jundiaí (SP), dono de um Corolla Fielder 2005

“Primeiro preciso agendar a colocação das etiquetas, pois meus adesivos acabaram. Depois, pedimos 60 dias úteis para a peça chegar.” Atendente de uma concessionária em Brasília (DF)

“Não temos as peças para o recall. Após desligar o airbag, precisamos de 60 dias úteis para religá-lo.” Atendente de uma concessionária em Curitiba (PR)

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da Quatro Rodas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. S Vianna Turismo

    Comprei um Corolla considerando entre outras coisas a segurança que os airbags me ofereceiam, então atribuo à Toyota qualquer responsabilidade que este ítem contribuir para a “insegurança” do meu veículo. É um absurdo vc ter que ir até uma concessionária desativar seu ítem de segurança em troca de um adesivo que tenta eximir a montadora de responsabilidade.