Artistas do Costa Concordia querem indenização por acidente

Segundo a ação judicial, os artistas ficaram incapacitados de trabalhar por terem sofrido danos físicos e emocionais

Brasília – Um grupo de músicos e dançarinos do Navio Costa Concordia ingressou com uma ação judicial pedindo indenização de US$ 200 milhões a ser paga pela empresa Costa Cruzeiros, responsável pela embarcação. A ação movida pelos quatro músicos e dançarinos tramita em um tribunal federal de Nova York, nos Estados Unidos.

O acidente ocorreu em 14 de janeiro, perto da ilha italiana de Giglio, matando 32 pessoas de várias nacionalidades. Na embarcação, havia brasileiros que conseguiram escapar. Há suspeitas de falhas do comandante do navio. O assunto ainda é objeto de investigação na Itália.

A ação movida pelos artistas inclui o violinista Sandor Feher, um dos mortos no acidente, que se afogou depois de tentar ajudar crianças a colocar coletes salva-vidas. Segundo a ação judicial, os artistas ficaram incapacitados de trabalhar por terem sofrido danos físicos e emocionais.

Em Miami, há um processo semelhante, movido também por vítimas do acidente, no qual o pedido de indenização chega a US$ 500 milhões. Franceses também movem ações e um grupo de 20 norte-americanos tenta um acordo com a empresa Costa Cruzeiro.
No navio, havia 4.754 pessoas, das quais 52 eram brasileiros, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores. Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa.