Alpargatas, da J&F, fecha venda para fundo Cambuhy

O valor de 3,5 bilhões de reais corresponde a 14,25 reais por ação ordinária e 11,40 reais por ação preferencial, afirmou a companhia

São Paulo – A Alpargatas confirmou nesta noite de quarta-feira, 12, que seu acionista controlador, a J&F Investimentos vendeu o controle acionária da empresa para a Itaúsa (holding de investimentos do Itaú), Cambuhy Investimentos (fundo da família Moreira Salles) e Warrant Administração de Bens e Empresas.

O preço total do negócio é de R$ 3,5 bilhões, sendo R$ 14,25 o valor atribuído por ação ordinária e R$ 11,40 por preferencial, vendidas pela J&F.

Após delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, controladores da J&F, o grupo colocou em andamento um processo de desinvestimentos. A meta é conseguir R$ 6 bilhões em recursos.

Foram adquiridas207.246.069ações ordinárias e de 47.937.043 preferenciais da Alpargatas, representando 85,78% do capital social votante; 20,95% das ações preferenciais da companhia e 54,24% do capital social total da Alpargatas.

A operação envolve a aquisição da totalidade das ações da Alpargatas detidas pela J&F Investimentos.

“Os compradores declararam que o objetivo da operação é a diversificação dos seus portfólios de negócios investidos”, disse a Alpargatas, em fato relevante.

A Itaúsa desembolsará na transação R$ 1,750 bilhão, por 50% dessas participações, que corresponde a 27,12% do capital total da Alpargatas, e irá emitir dívida para isso.

A holding de investimentos do Itaú celebrará acordo de acionistas com BW e Cambuhy para gestão compartilhada da empresa adquirida.

“Esse acordo conterá, entre outras disposições, indicação majoritária e paritária de membros no Conselho de Administração da Alpargatas”, disse a empresa, em fato relevante.

“Itaúsa, BW e Cambuhy estão confiantes de que a Alpargatas, com a colaboração de seus funcionários e executivos, continuará sua trajetória de crescimento e identificará novas oportunidades que maximizem a criação de valor aos seus diversos públicos (stakeholders). Por meio dessa transação, a Itaúsa adiciona ao seu portfólio de investimentos setor que apresenta grande potencial de crescimento e perspectiva de expansão internacional”, ressaltou a companhia.

A empresa afirmou ainda que não espera que esta transação acarrete efeitos significativos no resultado da Itaúsa neste exercício social.

A forma de pagamento da compra da Alpargatas será à vista, na data do fechamento.

A conclusão da operação está sujeita à aprovação prévia do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e eventuais outras autoridades concorrenciais competentes, bem como ao lançamento de uma Oferta Pública de Aquisição de Ações (OPA) pelos compradores e aprovações societárias da vendedora.