Ações da Petrobras têm desempenhos contrários após balanço

Com a divulgação do balanço de 2014, ações da estatal tiveram movimento contrário em relação ao dia anterior

Brasília – Após a divulgação do balanço de 2014, as ações da Petrobras registraram hoje (23) movimento contrário em relação ao dia anterior. As ações preferenciais, com prioridade na distribuição de dividendos, fecharam esta quinta-feira (23) em R$ 12,92, uma queda de 1,52%. As ações ordinárias, que dão direito a voto no conselho da companhia, encerraram em R$ 14,06, com alta de 5,63%.

A queda nas ações preferenciais ocorreu após o presidente da estatal, Aldemir Bendine, ter anunciado que a empresa não distribuiria dividendos aos acionistas neste ano. Os dividendos são a parcela dos lucros que uma empresa com ações na bolsa distribui aos acionistas.

No ano passado, a Petrobras teve prejuízo de R$ 21,6 bilhões. O balanço registrou perdas de R$ 6,2 bilhões relacionadas ao esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e redução de R$ 44,6 bilhões no valor de ativos relacionada a problemas de planejamento de projetos e à queda no preço internacional do petróleo.

Apesar do prejuízo, o maior para uma empresa com ações negociadas na bolsa de valores desde 1986, a Petrobras registrou crescimento de 5% na produção de gás natural no ano passado.

A produção na área do pré-sal bateu recorde, com média diária de 381 mil barris em 2014. Em relação ao refino, a produção total de derivados atingiu 2,17 milhões de barris diários, alta de 2% na comparação com 2013.

O índice Ibovespa, da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou o dia com alta de 1,85%, aos 55.685 pontos. Além das ações ordinárias da Petrobras, a valorização foi motivada pela alta de 8,43% nas ações da mineradora Vale, um dos principais componentes do índice.