Acionistas do Banco Popolare e do BPM aprovam fusão

Na sexta-feira, as ações das duas companhias haviam subido, com a expectativa de que os acionistas fossem aprovar o negócio

São Paulo – Acionistas do Banco Popolare e do Banca Popolare di Milano (BPM) votaram no sábado para aprovar a fusão das duas empresas, em um acordo que cria o terceiro maior banco da Itália.

Segundo o jornal Corriere della Sera, a sede da companhia será em Milão e ela será menor no setor apenas que o UniCredit e o Intesa Sanpaolo.

Membro do conselho do BPM, Giuseppe Castagna disse, segundo o jornal italiano, que a decisão representava um olhar “para o futuro, não para o passado”.

Na sexta-feira, as ações das duas companhias haviam subido, com a expectativa de que os acionistas fossem aprovar o negócio, como ocorreu no fim de semana.

A agência Swiss Info lembra que a fusão é a primeira após o governo do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, aprovar uma reforma que prevê a transformação dos grandes bancos cooperativos do país em sociedades anônimas, como será a empresa resultante desse negócio.