WikiLeaks promete revelações sobre eleições americanas

"Todos os documentos relacionados às eleições americanas sairão antes de 8 de novembro", prometeu Assange em uma videoconferência em Berlim

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, prometeu nesta terça-feira, no aniversário de 10 anos de sua organização, fazer revelações relacionadas às eleições presidenciais nos Estados Unidos até 8 de novembro.

“Todos os documentos relacionados às eleições americanas sairão antes de 8 de novembro”, prometeu Assange em uma videoconferência em Berlim, já que ele se encontra refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012 para evitar uma extradição à Suécia.

“Sim, pensamos que (estas publicações) serão significativas. Mostram aspectos interessantes das facções dentro do poder nos Estados Unidos? Sim”, disse, sem fornecer nenhum detalhe sobre as informações. A imprensa americana prevê que a candidata democrata Hillary Clinton estará no centro das revelações.

No fim de julho, na véspera do início da Convenção democrata, o WikiLeaks havia publicado 20.000 e-mails internos desta formação política revelando que várias autoridades do partido teriam agido a favor de Hillary Clinton durante a campanha para as primárias.

Os representantes da organização também citaram nesta coletiva de imprensa alegações publicadas nos Estados Unidos que afirmam que Hillary Clinton, quando era chefe da diplomacia, queria que um ataque com um drone militar atingisse Assange.

O fundador do WikiLeaks também prometeu que nas próximas dez semanas serão divulgadas informações sobre “a guerra, as armas, o petróleo, Google e a vigilância maciça”.

Os únicos detalhes que deu é que os documentos que serão publicados envolvem três grandes organizações em três estados diferentes.