Vice das Filipinas renuncia por escândalos de corrupção

Binay também é acusado de se apropriar de fundos dos Escoteiros das Filipinas, que preside há mais de uma década, na venda que fez de um terreno em Makati

Manila – O vice-presidente das Filipinas, Jejomar Binay, apresentou nesta segunda-feira sua renúncia irrevogável e com efeito imediato de vários cargos relevantes acossado por escândalos de corrupção e com vistas às eleições presidenciais do próximo ano.

Binay mantém a vice-presidência, mas deixa os cargos de chefe do Conselho Coordenador da Habitação e Desenvolvimento Urbano e de assessor presidencial de Assuntos de Imigração e sai do Gabinete do presidente Beningno Aquino, segundo o site de informação “Rappler”.

A filha de Binay, a congressista Abigail, entregou a carta de renúncia dirigida ao presidente das Filipinas.

Abigail manifestou aos jornalistas que seu pai pensava fazer uma declaração antes de quarta-feira.

A saída do Gabinete do vice-presidente do governo ocorre após meses de acusações de corrupção contra o político, envolvido em vários escândalos nos quais seus antigos aliados afirmam que Binay recebeu subornos em várias ocasiões.

Um dos polêmicos casos é o da construção da nova Prefeitura de Makati, bairro na zona metropolitana de Manila e do qual foi prefeito de 1986 a 1998 e de 2001 a 2010.

Segundo alguns especialistas, pelas obras foram pagos cerca 39 milhões de euros a mais do que seu custo real.

Binay também é acusado de se apropriar de fundos dos Escoteiros das Filipinas, que preside há mais de uma década, na venda que a organização fez de um terreno em Makati a uma construtora, da qual não recebeu nenhum pagamento até que o caso foi exposto no Senado do país.

Alguns analistas acreditam Binay tomou esta decisão para se concentrar em sua candidatura às eleições presidenciais de maio de 2016.

Binay foi eleito nas urnas vice-presidente das Filipinas em junho de 2010 para um mandato de seis anos e pertence a uma das dinastias políticas que governam as Filipinas.