Vaticano investiga sete padres por caso de pedofilia

Acusações de abusos sexuais a seminaristas por parte de Marcial Maciel e de sua vida dupla - chegou a ter vários filhos - obrigou a intervenção

Cidade do Vaticano – A Congregação para a Doutrina da Fé investiga sete sacerdotes da congregação Legionários de Cristo por supostos abusos sexuais a menores, disse à Agência Efe o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

O porta-voz declarou que não entende o revôo midiático surgido com esta investigação, uma vez que os Legionários de Cristo informaram os casos à Congregação para a Doutrina da Fé no curso deste ano e o organismo está realizando seu trabalho há muito tempo.

Os Legionários de Cristo foram fundados no México em 1941 por Marcial Maciel, quando tinha apenas 20 anos, e experimentou um enorme desenvolvimento durante o pontificado de João Paulo II.

No entanto, as acusações de abusos sexuais a seminaristas por parte de Maciel e de sua vida dupla – chegou a ter vários filhos – obrigou a intervenção do Vaticano.

O delegado pontifício para os Legionários de Cristo, Velasio de Paolis, criou uma comissão para ajudar às vítimas de abusos sexuais por parte de Maciel e para fazer uma limpeza na congregação.

Bento XVI castigou Maciel (1920-2008) por seus ”gravíssimos e imorais” comportamentos e pela vida que levou ”sem escrúpulos e sem verdadeiro sentimento religioso”.

Os Legionários de Cristo contam hoje com 900 sacerdotes e três mil seminaristas e estão estabelecidos em 18 países, além de terem 70 mil membros do Regnum Christi.