Valls se esquiva de votação para aprovar reforma trabalhista

O recurso a esse instrumento constitucional, segundo disse Valls, foi decidido porque o governo está "convencido que a reforma é um bom texto para o país"

Paris – O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, anunciou nesta terça-feira que decidiu recorrer ao artigo 49.3 da Constituição para aprovar seu projeto de lei de reforma trabalhista sem submetê-lo à votação da Assembleia Nacional.

O recurso a esse instrumento constitucional, segundo disse Valls aos deputados, foi decidido porque o governo está “convencido que (a reforma trabalhista) é um bom texto para o país” e esse projeto de lei deve ser adotado.

A reforma será aprovada na Assembleia Nacional, a menos que a oposição introduza nas 24 horas seguintes uma moção de censura, que os deputados conservadores já anunciaram que vão apresentar.