Uso internacional do euro se manteve estável apesar de crise

A conclusão é de um estudo sobre a relevância internacional do euro divulgado pelo Banco Central Europeu

Frankfurt – O uso internacional do euro se manteve estável apesar da crise de endividamento soberano que alguns países da zona do euro atravessam há mais de um ano.

Esta é uma das conclusões da décima revisão anual da relevância internacional do euro que o Banco Central Europeu (BCE) publicou nesta sexta-feira.

“O uso internacional do euro permaneceu em termos gerais estável em 2010 em comparação com outras moedas internacionais importantes”, disse o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, na introdução do relatório.

“Embora a crise financeira global tenha continuado a ter um profundo impacto na atividade de todos os segmentos de mercado tratados na revisão, as preferências por moedas internacionais importantes se mantiveram”, segundo Trichet.

O BCE acrescenta que “a estabilidade da função internacional do euro durante 2010 está em linha com a tendência histórica observada desde a introdução da moeda única, em 1999”.

No ano passado, o euro foi a segunda maior divisa internacional de reservas, segundo a instituição financeira.

A crise de endividamento de alguns países da zona do euro e a falta de consenso político na Europa para enfrentá-la fez alguns analistas questionarem o futuro da principal divisa europeia.

Os chefes de Estado e de governo da zona do euro acertaram nesta quinta-feira um novo pacote de resgate para a Grécia, que contempla a participação dos credores privados.

O acordo contribuiu para estimular a alta do euro, que nesta sexta-feira estava cotado acima dos US$ 1,44.