TV japonesa boicota torneio de sumô após escândalos

Lutadores e dirigentes são acusados de manter ligação com a yakuza e de participarem de apostas ilegais

Tóquio – A televisão pública japonesa NHK anunciou nesta terça-feira que pela primeira vez em sua história não exibirá o torneio de verão de sumô, como forma de protesto contra uma série de escândalos vinculados à máfia, que afetaram recentemente o esporte ancestral japonês.

“O presidente da NHK anunciou a não transmissão do torneio de Nagoya”, informou o canal público.

No domingo, o diretor de um clube de sumô, Otake, de 42 anos, e um dos mais importantes lutadores japoneses, Kotomitsuki, de 34 anos, foram excluídos pela Associação Japonesa de Sumô (AJS) por terem participado em apostas clandestinas sobre beisebol organizadas pela yakuza, a máfia japonesa.

Outros 10 lutadores envolvidos nas apostas também foram suspensos durante o torneio de Nagoya, enquanto o presidente da AJS, Musashigawa, foi afastado do cargo por tempo indeterminado.

“Temos que erradicar os yakuza do mundo do sumô”, declarou no fim de junho o chefe da Polícia Nacional, Takaharu Ando, depois da prisão de um ex-sumotori de 38 anos, por chantagem e extorsão.

Os vínculos entre o mundo do sumô e a máfia nipônica foram evidenciados em maio, quando alguns dirigentes de clubes admitiram ter distribuído lugares na primeira fila ao redor do ringue a chefes da Yamgushi-gumi, a mais importante gangue de yakuzas no Japão.

O sumô passa por uma crise de renovação no arquipélago. O número de japoneses que praticam este esporte é duas vezes menor que há 20 anos.

Desde janeiro de 2006 nenhum japonês vence um torneio. As competições agora são dominadas pelos mongóis.