Turquia não autentifica vídeo do EI com soldados turcos queimados

Segundo o vice-primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus, não há informações claras que permitam autentificar o vídeo

A Turquia afirmou nesta terça-feira que ainda não autentificou o vídeo divulgado na semana passada pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI) no qual aparecem dois soldados turcos supostamente queimados vivos.

“Até o momento, não há informação clara de nossas forças armadas ou de nosso ministério da Defesa que permitam autentificar este vídeo”, declarou o vice-primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus, durante uma coletiva de imprensa em Ancara.

“Se forem obtidas informações a respeito, serão compartilhadas com o público”, acrescentou.

O EI publicou na quinta-feira um vídeo no qual mostra dois homens algemados, que são apresentados como soldados turcos reféns dos extremistas, no momento em que são imolados com fogo.

Desde a publicação deste vídeo, os internautas turcos se queixaram de ter dificuldades para acessar as redes sociais.

Turkey Blocks, um organismo de vigilância da censura na internet, confirmou rapidamente que foram registradas lentidões no Twitter e YouTube, imputadas aos provedores do acesso à internet.

Na segunda-feira já era possível acessar a rede normalmente.

Kurtulmus estimou que é essencial que os meios de comunicação on-line se mostrem responsáveis ante as “infâmias” dos grupos terroristas.

Acrescentou ainda que “as redes sociais, em particular, não são o lugar (apropriado) para publicações irresponsáveis”.

O exército turco, que combate o EI em Al Bab, no norte da Síria, registrou na semana passada seu maior número de baixas desde o início de sua intervenção transfronteiriça, no fim de agosto passado.

Por sua vez, o ministro da Defesa, Fikri Isik, já havia indicado que três soldados turcos estão atualmente prisioneiros do EI, sem fornecer mais detalhes.