Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Trump foi incitado a fazer comentários obscenos, diz Melania

Em entrevista à emissora "CNN", a ex-modelo eslovena argumenta que as polêmicas afirmações do magnata respondem a "comentários de homens"

Washington – Melania Trump, esposa do candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou nesta segunda-feira que o marido foi “incitado” a fazer comentários obscenos em relação às mulheres no vídeo gravado em 2005 que foi divulgado há mais de uma semana.

Em entrevista à emissora “CNN”, que será exibida nesta noite, mas da qual foram antecipados alguns trechos, a ex-modelo eslovena argumenta que as polêmicas afirmações do magnata respondem a “comentários de homens”.

“Disse ao meu marido que o linguajar era inadequado. Não é aceitável. E me surpreendeu, porque esse não é o homem que eu conheço”, disse a esposa do candidato presidencial na entrevista.

“E como se pode ver no vídeo, as câmeras não estavam em frente a eles. Foi só um microfone e me pergunto se sabiam que o microfone estava ligado”, disse, ao se referir a Trump e ao apresentador da “NBC”, Billy Bush, com quem estava conversando.

Desde que o jornal “The Washington Post” divulgou o vídeo no dia 7 de outubro, Trump enfrentou acusações de assédio sexual por várias mulheres, afirmações que o magnata negou.

Questionada se alguma vez ouviu o marido falar da forma mostrada no vídeo, Melania foi contundente.

“Não, por isso me surpreendeu, porque, como disse, eu não conheço essa pessoa que fala desse modo, nem que diz esse tipo de coisas em particular”, afirmou.

Estas são as primeiras declarações da ex-modelo em público após o escândalo, embora tenha emitido um comunicado após a divulgação do vídeo.

“As palavras que meu marido usou são inaceitáveis e ofensivas para mim. Isto não representa o homem que eu conheço. Espero que as pessoas aceitem suas desculpas”, acrescentou.