Trump escolhe para chefe de Inteligência senador punido na Rússia

Dan Coats é um dos seis senadores americanos que Moscou proibiu ingressar na Rússia

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, escolheu como diretor nacional de Inteligência o senador Dan Coats, que tem sua entrada na Rússia proibida, informaram nesta quinta-feira vários meios de comunicação.

Esta designação é muito sensível para Donald Trump, em plena polêmica com os serviços de Inteligência americanos pela interferência russa na recente eleição presidencial dos EUA.

A designação de Dan Coats, 73 anos e senador republicano por Indiana em final de mandato, deve tranquilizar os que suspeitam da indulgência de Trump em relação à Rússia de Vladimir Putin.

Coats é um dos seis senadores americanos que Moscou proibiu ingressar na Rússia, em 2014, em resposta às sanções americanas pela invasão russa da Crimeia.

Na ocasião, o senador se sentiu “honrado” com a decisão do Kremlin.

O diretor de Inteligência, cargo criado após os atentados de 11 de setembro de 2001, coordena a atividade das 17 agências de inteligência dos Estados Unidos, incluindo CIA, FBI e NSA.

Dan Coats foi embaixador na Alemanha entre 2001 e 2005, sob a administração de George W. Bush, e atuou como membro da comissão de Inteligência do Senado durante seu último mandato.