Trump confirma empresário Andy Puzder como secretário de Trabalho

Puzder é o principal executivo da rede de restaurantes CKE e é contra o aumento do salário mínimo em nível federal

Nova York – O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou nesta quinta-feira que escolheu o empresário Andy Puzder como futuro secretário de Trabalho, a quem encarregou de conseguir empregos mais seguros e maior prosperidade para os trabalhadores.

Puzder é o principal executivo da rede de restaurantes CKE, que inclui as franquias Carl’s Júnior e Hardee’s, e entre as posições com as quais se destacou ultimamente está a de opor-se ao aumento do salário mínimo em nível federal.

O comunicado oficial da equipe de transição presidencial que dá conta desta nomeação assegura que a trajetória de Puzder, por seu “amplo histórico de luta em favor dos trabalhadores, o transforma no candidato ideal” para esse posto.

“Andy lutará para que os trabalhadores americanos sejam mais seguros e mais prósperos mediante a aplicação de normas justas de segurança ocupacional e garantindo que os trabalhadores recebam os benefícios que merecem”, assegura Trump no comunicado.

O presidente eleito também indica que entre suas missões se encontra a de salvar “pequenas empresas da carga arrasadora de regulações desnecessárias que estão prejudicando o crescimento do emprego e suprimindo os salários”.

A nota inclui comentários de Puzder nos quais sustenta que “as políticas oficiais acertadas podem resultar em mais empregos e melhores salários para os trabalhadores americanos”.

O comunicado também contém elogios de um dos diretores da empresa comandada por Puzder e do dono de um de seus restaurantes, entre outros.

A nota oficial lembra que Puzder procede de uma família trabalhadora da cidade de Cleveland, filho de um vendedor de carros e que pagou seus estudos trabalhando na construção, em jardinagem e pintando casas.

O CKE, grupo que Puzder lidera desde o ano 2000, tem 3.750 restaurantes nos Estados Unidos e no resto do mundo, e emprega cerca de 75.000 pessoas.

A eleição de Pudzer já tinha sido antecipada por vários veículos de comunicação, que destacaram sua luta para evitar que se eleve para US$ 15 a hora o salário mínimo em nível federal, situado atualmente em US$ 9.

“Não acredito que nenhum restaurante possa operar com benefícios se pagar um salário mínimo de US$ 15. Teria um impacto devastador no país”, afirmou em 2014 o futuro secretário de Trabalho se o Senado ratificar sua designação.

Muito crítico à Administração de Barack Obama, Puzder, que se reuniu recentemente em duas ocasiões com Trump, defende que várias regulações impulsionadas por seu governo frearam o crescimento e a criação de empregos.

“Acho que, basicamente, tudo o que foi feito por esta Administração foi contra os negócios”, disse Puzder há dois anos quando foi consultado sobre a gestão de Obama.