Trump condena ataque em Berlim e assassinato de embaixador

Em um comunicado, Trump condenou o "horroroso atentado terrorista em Berlim" e a morte de "civis inocentes que foram assassinados na rua"

Nova York – O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, condenou o ataque com um caminhão registrado nesta segunda-feira em Berlim, capital da Alemanha, que deixou nove pessoas mortas, e o assassinato de um embaixador russo na Turquia.

Em um comunicado, Trump condenou o “horroroso atentado terrorista em Berlim” e a morte de “civis inocentes que foram assassinados na rua quando se preparavam para celebrar as festas natalinas”.

“O Estado Islâmico e outros terroristas islâmicos continuamente assassinam cristãos em suas comunidades e locais de oração como parte de sua jihad global”, disse o presidente eleito em uma nota divulgada pela equipe de transição.

“Esses terroristas, suas redes regionais e mundiais devem ser erradicados da face da Terra, uma missão que realizaremos com todos os parceiros que amam a liberdade”, completou Trump na nota.

Mais cedo, Trump tinha condenado o assassinato do embaixador russo na Turquia, Andrey Karlov, um fato que classificou com uma “violação de todas as regras da ordem civilizada”.

Karlov foi morto a tiros por um policial turco hoje em Ancara quando participava de uma exposição de fotos.

Depois de matar o embaixador, o atirador fez declarações de apoio aos habitantes da cidade de Aleppo, na Síria, bombardeava por aviões russos.

Também em comunicado, Trump expressou condolências à família do diplomata russo, que foi “assassinado por um terrorista radical islâmico”, diz a nota.

“O assassinato de um embaixador é uma violação a todas as regras da ordem civilizada e deve ser condenado mundialmente”, completou o presidente eleito dos EUA.