Tropas americanas seguem na fronteira entre Iraque e Síria

O líder do opositor Exército dos Comandos da Revolução, Mohanad al Talea, afirmou que as tropas não vão se retirar, mas sim "reforçar a sua presença"

Beirute – As tropas dos Estados Unidos reforçaram a presença na passagem fronteiriça de Al Tanf, entre a Síria e o Iraque, onde prestam apoio às facções rebeldes sírias que operam na área, disse nesta quarta-feira à Agência Efe o líder do opositor Exército dos Comandos da Revolução, Mohanad al Talea.

As tropas dos EUA “não se retiraram e nem vão se retirar, pelo contrário, reforçaram sua presença em Al Tanf”, disse Al Talea por telefone desde essa passagem fronteiriça, sem oferecer detalhes sobre o número de soldados americanos.

Nas últimas semanas, alguns meios de comunicação internacionais informaram sobre uma possível retirada em ordem de tropas das forças dos EUA da zona.

No dia 19, o jornal “The Washington Post” afirmou que o presidente Donald Trump tinha decidido suspender um programa da CIA dedicado a armar e treinar as tropas rebeldes na Síria, ainda que pouco depois o governante tenha acusado esse meio de comunicação de inventar esses dados.

Al Talea apontou que os EUA continuam apoiando sua facção e outros grupos rebeldes sírios.

“Nós recebemos o respaldo da coalizão internacional e do Pentágono”, indicou o líder insurgente, que acrescentou que há outras organizações rebeldes sírias apoiadas pela MOC (siglas em inglês de Centro de Operação Militar), com base na Jordânia e controlada pela CIA, que tampouco parou de dar suporte.

Por outro lado, Al Talea acusou o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) de ter atacado com a milícia pró-governamental iraquiana Multidão Popular, de credo xiita, perto do limite entre o território sírio e o do Iraque.

“Houve um ataque do EI contra as milícias da parte iraquiana e mataram vários de seus membros”, assegurou.

Ontem, a Multidão Popular atribuiu às forças americanas o bombardeio contra um grupo de milicianos da sua unidade na fronteira entre o Iraque e a Síria, o que foi negado por Washington, que lidera a coalizão internacional.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s