Trem descarrila em Bangladesh por sabotagem e deixa 4 mortos

Pelo menos quatro pessoas morreram e 50 ficaram feridas quando um trem descarrilou no norte de Bangladesh

Nova Deli – Pelo menos quatro pessoas morreram e 50 ficaram feridas quando um trem descarrilou nesta quarta-feira no norte de Bangladesh, região onde há cinco dias acontecem violentos protestos liderados pela oposição política.

O incidente ocorreu no início da madrugada local em um trecho do distrito de Gaibandha por onde circulava o expresso “Padmarag”, informaram fontes do setor ferroviário ao site “Bdnews 24”.

As fontes classificaram o acidente como “sabotagem” e argumentaram que o trem descarrilou porque vândalos removeram trechos dos trilhos da ferrovia.

Por enquanto as autoridades já detiveram dois suspeitos.

Durante a madrugada houve outros dois descarrilamentos no país asiático, nos distritos meridionais de Chandpur e Khulna, que cortaram a comunicação entre o norte e o sul de Bangladesh.

No primeiro incidente não houve vítimas porque o trem estava viajando em baixa velocidade. Já em Khulna, dez pessoas ficaram feridas, de acordo com o jornal “The Daily Star” de Bangladesh, que não esclareceu suas fontes.

Os ataques contra transportes públicos como trens e ônibus estão sendo constantes nesses dias e semanas de grande agitação política e instabilidade nas ruas das cidades de Bangladesh.


Ontem, pelo menos cinco pessoas morreram e dez ficaram feridas em confrontos entre as forças do segurança e simpatizantes de partidos da oposição.

A principal formação opositora, o Partido Nacionalista (BNP), lidera uma coalizão que pede o cancelamento das próximas eleições gerais, marcadas para 5 de janeiro, por discordar do governo interino estabelecido pela governante Liga Awami.

Bangladesh é um país muito polarizado politicamente: o BNP e a Liga Awami são dirigidos pelas herdeiras de dois importantes ex-governantes considerados “pais da pátria”.

Além disso, o governo criou um tribunal especial para julgar os crimes contra a humanidade cometidos durante a guerra de 1971, na qual Bangladesh se tornou independente do Paquistão, que até então era sua região oriental.

Desde o início deste ano dez pessoas, em sua maioria octogenários líderes islamitas e também dois líderes do BNP, foram condenados a penas de morte e prisão, o que gerou violentos protestos.

Essa insatisfação de uma parte da população se uniu a rejeição sobre a fórmula de governo escolhida para tutelar o período pré-eleitoral.

Os contínuos episódios de violência e a incapacidade dos partidos em contê-los levaram em 2007 à instauração um regime tutelado pelo exército de Bangladesh, que permaneceu no poder por quase dois anos – o que os analistas não descartam que possa acontecer agora.