Toyota em queda; Nissan e Mitsubishi…

Toyota em baixa

A também japonesa Toyota apresentou sua primeira queda nos lucros em cinco anos. A redução foi de 35% no último ano, para 13,8 bilhões de dólares. O resultado da segunda maior montadora do mundo (atrás da Volskwagen) foi divulgado nesta quarta-feira. A empresa anunciou que deve comprar de volta pelo menos 4,5 bilhões de dólares em ações. Desde os terremotos no Japão em 2011, a produção da Toyota caiu cerca de 800.000 veículos, devido ao fraco mercado doméstico.

Nissan e Mitsubishi

A montadora japonesa Nissan deve oferecer 1,84 bilhão de dólares na aquisição de uma fatia de 34% da também japonesa Mitsubishi, recém-envolvida num escândalo por disfarçar as emissões de carbono de seus veículos. As ações da Mitsubishi caíram 43% desde abril, e hoje a companhia vale 2,9 bilhões de dólares.

Noruega investe no petróleo

Para enfrentar a recessão, o governo norueguês afirmou nesta quarta-feira que vai ampliar os investimentos na indústria petroleira, chegando a um nível recorde de estímulo ao setor. Serão 25 bilhões de dólares investidos até o fim do ano, ante os 23 bilhões anunciados em outubro. De acordo com o governo, o objetivo é fortalecer o setor em relação à intensa competição internacional.


Casamento igualitário na Itália

O Parlamento italiano aprovou a união civil entre casais do mesmo sexo nesta quarta-feira, mesmo com uma divisão de opiniões no país, dada a predominância do catolicismo. Foram 99 abstenções, 51 votos contrários e 372 votos a favor. A aprovação pode ser considerada a vitória de uma luta pessoal do primeiro-ministro Matteo Renzi, que prometeu garantir direitos à população homossexual em 2014, quando foi eleito.

Estado Islâmico ataca Bagdá
Mais de 90 pessoas morreram nesta quarta-feira em Bagdá, no Iraque, numa série de ataques do Estado Islâmico ao país. O maior deles atingiu o mercado público da cidade, onde pelo menos 66 pessoas morreram e outras 87 ficaram feridas. Os explosivos estavam escondidos em um caminhão, dirigido por um homem que estacionou o veículo e, logo depois, deixou o local. O Estado Islâmico reivindicou nas redes sociais a autoria dos atentados.