Termina operação antiterrorista em Saint-Denis com 7 presos

Pelo menos dois terroristas morreram na ação em dois apartamentos de Saint-Denis, em uma operação que tinha como objetivo capturar o belga Abdelhamid Abaaoud

Paris – Duas novas pessoas foram presas em Saint-Denis, ao norte de Paris, o que eleva para sete o total de detidos na operação antiterrorista realizada pela Polícia francesa nesta quarta-feira, informou a imprensa local.

Um dos detidos saiu do edifício onde se desenvolve a operação nu da cintura para baixo, coberto por membros da unidade de elite da Polícia francesa, segundo pôde constatar a Agência Efe no local.

Pelo menos dois terroristas morreram na ação em dois apartamentos de Saint-Denis, em uma operação que tinha como objetivo capturar o belga Abdelhamid Abaaoud, considerado como o autor intelectual dos atentados de Paris da última sexta-feira.

Não há confirmação de que ele estava no imóvel até o momento.

Em comunicado, a Procuradoria de Paris, responsável pela investigação dos ataques que causaram a morte de pelo menos 129 pessoas na capital francesa, confirmou a morte de uma mulher que suicidou ao ativar seu colete de explosivos quando os agentes tentaram invadir os apartamentos usados pelos terroristas.

Além disso, fontes policiais citadas pela imprensa francesa indicam que outro terrorista foi abatido por um franco-atirador do corpo de elite da Polícia francesa, apesar de a informação não ter sido confirmada oficialmente pelas autoridades.

A Procuradoria indicou também que cinco pessoas foram detidas na operação, três delas no interior do apartamento. “Suas identidades não foram determinadas por enquanto”, afirmou o órgão em comunicado.

Um homem e uma mulher que estavam perto do apartamento também foram presos pelas autoridades. De acordo com a imprensa local, eles podem ter alugado o imóvel para os radicais.

Vários policiais ficaram feridos na operação, que começou por volta das 4h20 locais (2h20 em Brasília). Um grande número de agentes isolou o centro de Saint-Denis, que fica muito perto do Stade de France, um dos seis palcos dos ataques da sexta-feira.

Texto atualizado às 9h05.