Suspeito de ataque no metrô de Londres é acusado

O suspeito, Muhaydin Mire, deverá comparecer nesta segunda-feira perante um tribunal, indicou a polícia metropolitana em um comunicado

A polícia antiterrorista britânica acusou neste domingo um homem de 29 anos de tentativa de assassinato, um dia após um ataque com faca que deixou dois feridos em uma estação do metrô de Londres.

O suspeito, Muhaydin Mire, deverá comparecer nesta segunda-feira perante um tribunal, indicou a polícia metropolitana em um comunicado.

Investigadores de uma unidade contraterrorista vasculharam uma casa no leste de Londres.

Duas pessoas ficaram feridas nesta agressão, que está sendo tratada como um ato de terrorismo, disse Richard Walton, chefe do comando antiterrorista a cargo da investigação.

Este incidente ocorreu apenas três dias após o Parlamento britânico autorizar o exército a bombardear posições do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na Síria.

Também ocorreu menos de um mês após os atentados de Paris, reivindicados pelo EI, que deixaram 130 mortos, e três dias depois de um ataque nos Estados Unidos, classificado de ato terrorista pelo presidente Barack Obama, no qual 14 pessoas perderam a vida.

Alguns meios de comunicação britânicos afirmam que testemunhas ouviram o agressor justificar seu ato dizendo “Isto é pela Síria”.

Mas a polícia britânica, contactada pela AFP, não confirmou esta informação.

Se o caráter terrorista desta ação for confirmado, o ataque pode ser obra de um destes indivíduos que a polícia e os especialistas classificam de “lobos solitários”.

As autoridades expressaram em várias ocasiões sua preocupação crescente em relação à possibilidade de registro deste tipo de agressões.