Social-democratas são favoritos nas eleições da Romênia

O país é governado desde 2015 por um gabinete técnico, após a renúncia do primeiro-ministro Víctor Ponta.

O Partido Social Democrata (PSD) da Romênia poderia voltar ao poder no domingo, em eleições parlamentares nas quais é visto como favorito, pouco mais de um ano depois de um incêndio em uma boate em Bucareste que forçou a renúncia do primeiro-ministro Víctor Ponta.

Ponta foi forçado a renunciar no início de novembro de 2015 em razão da pressão popular após a tragédia que deixou mais de 60 mortos e que revelou a corrupção endêmica no país.

O primeiro-ministro também se viu enfraquecido por outras acusações de evasão fiscal e lavagem de dinheiro.

Desde então, o país é governado por um gabinete técnico liderado pelo ex-comissário europeu para a Agricultura, Dacian Ciolos.

Mas, para as eleições de domingo, o Partido Social Democrata (PSD) é apontado com 40% das intenções de votos.

“O PSD tem um eleitorado estável, especialmente na zona rural e pequenas cidades. Nenhum outro partido tem uma mensagem destinada a essas pessoas”, as mais afetadas pela pobreza e desemprego, disse à AFP o sociólogo Barbu Mateescu.

Duas formações aparecem logo atrás, o Partido Nacional Liberal (PNL) e a Unidade para Salvar a Romênia (USR), que juntos respondem por entre 35% e 40% dos votos.