Romney está pior que McCain e Bush entre latinos

No eleitorado como um todo, no entanto, Romney aparece ligeiramente à frente de Obama em algumas pesquisas

Washington – Os latinos dos Estados Unidos tradicionalmente preferem os democratas, mas o candidato republicano a presidente, Mitt Romney, está no caminho de ter nesse grupo uma votação pior do que a de outros candidatos de seu partido em eleições presidenciais recentes, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira.

A pesquisa do Pew Research Center entre eleitores latinos registrados mostrou que 21 por cento deles apoiam Romney, contra 69 por cento que declaram voto no presidente Barack Obama, candidato à reeleição em 6 de novembro.

Isso é 10 pontos percentuais a menos do que o republicano John McCain obteve há quatro anos, e 19 a menos do que o ex-presidente George W. Bush recebeu em 2004. McCain, do Arizona, e Bush, do Texas, são políticos de Estados com grande presença hispânica. Romney é de Massachusetts.

Os republicanos, em geral, são mais favoráveis que os democratas a controles imigratórios rígidos, e nas primárias republicanas Romney assumiu uma posição especialmente dura nesse quesito, dizendo apoiar a “autodeportação” dos imigrantes ilegais.

“Uma crescente parcela dos eleitores latinos diz que o Partido Democrata tem mais preocupação com os latinos do que o Partido Republicano”, disseram os pesquisadores do Pew Hispanic Center, uma entidade apartidária.


No eleitorado como um todo, no entanto, Romney aparece ligeiramente à frente de Obama em algumas pesquisas.

Mais de 60 por cento dos latinos consideram que os democratas se preocupam mais com eles, cifra que era de 45 por cento no ano passado, segundo a pesquisa feita entre 7 de setembro e 4 de outubro. Dez por cento disseram que os republicanos se preocupam mais, resultado semelhante ao de 2011.

Romney teve um ligeiro crescimento entre os hispânicos nos nove Estados vistos como decisivos para a eleição, tais quais Ohio e Flórida. Mas Obama ainda continua bem à frente nesse grupo, por 65 x 23 por cento.

Em 2008, Obama teve 67 por cento dos votos dos latinos, contra 31 por cento para McCain, segundo outra pesquisa Pew. Bush teve 34 por cento do voto hispânico na sua primeira eleição (2000), e 40 por cento quatro anos depois.

Embora o voto hispânico seja considerado crucial, a pesquisa mostrou que grande parte desse eleitorado não deve ir às urnas.

Entre 1.765 adultos latinos entrevistados, pouco mais de metade (903) disseram ser eleitores registrados. Dentre os eleitores, 77 por cento dizem ter “absoluta certeza” de que irão votar, cifra inferior à média do eleitorado, de 89 por cento.

A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais em todos os quesitos, exceto na intenção de comparecimento para o eleitorado registrado, em que a margem de erro é de 4,6 pontos percentuais.