Romney: endurecer leis sobre posse de armas não é a solução

"Pensar que as leis contra os instrumentos da violência farão com que a violência desapareça é estar errado", disse o candidato republicano à Presidência dos EUA

Washington – O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Mitt Romney, reiterou nesta quinta-feira durante uma entrevista à “CNN” que endurecer as leis sobre a posse de armas não é a solução para diminuir a violência no país.

“Pensar que as leis contra os instrumentos da violência farão com que a violência desapareça é estar errado”, disse Romney na entrevista gravada em Londres, onde se encontra em sua primeira viagem internacional como candidato republicano.

Segundo sua opinião, o fundamental é identificar as pessoas que estão “transtornadas” e “angustiadas” e ajudá-las, a fim de evitar “atos terríveis” como o tiroteio que na semana passada deixou 12 mortos e 58 feridos em um cinema em Aurora, no Colorado.

Romney lembrou o caso de Timothy Mcveigh, que em 1995 matou 168 pessoas em Oklahoma City com um carro-bomba carregado com explosivos fabricados com adubo, que é um “produto que se pode comprar legalmente em qualquer parte do mundo”.

Em discurso nesta quarta-feira em Nova Orleans, o presidente dos EUA e candidato à reeleição, Barack Obama, falou às claras sobre a necessidade de um maior e melhor controle sobre a posse de armas.

“Acho que uma grande quantidade de proprietários de armas está de acordo que os AK-47 devem estar nas mãos dos soldados, não dos criminosos”, disse Obama.

Sem entrar em detalhes, Obama indicou que as medidas para o controle da posse de armas deveriam ser “de bom senso” e não gerar “controvérsia”.