Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Roma desiste de candidatura para sediar Olimpíadas de 2024

"Escrevi ao COI uma carta na qual informamos que interrompemos o programa de Roma 2024", anunciou o presidente do Comitê Olímpico Italiano

Roma – O presidente do Comitê Olímpico Italiano (CONI), Giovanni Malagò, retirou oficialmente nesta terça-feira a candidatura de Roma para sediar os Jogos Olímpicos de 2024 após receber o “não” da prefeita da capital, Virgínia Raggi.

Malagò lamentou em entrevista coletiva a oposição da Prefeitura da capital, desmentiu as acusações recebidas e anunciou que candidatará a cidade de Milão como sede para a sessão do COI de 2019.

“Hoje é o dia da clareza, é preciso dar muitas respostas. Escrevi ao Comitê Olímpico Internacional (COI) uma carta na qual informamos que interrompemos o programa de Roma 2024”, anunciou Malagò em discurso na sede romana do CONI.

O presidente do órgão lamentou a falta de apoio da Prefeitura, que, segundo sua opinião, rejeitou a proposta por razões demagógicas.

“Eu, com coerência, afirmei que para realizar este projeto faziam falta três pilares. Desde o começo houve três pilares, mas depois um delas falhou por razões demagógicas. Tivemos que interrompê-lo a 11 meses de sua conclusão”, disse.

Malagò desmentiu ponto a ponto as acusações recebidas de Raggi em setembro passado, quando informou sobre a rejeição definitiva à proposta olímpica. Entre as razões alegadas pela prefeita estava o exemplo de Madri, que segundo Raggi desistiu três vezes após promover sua candidatura.

“Eu me permito desmentir suas acusações, mas farei isso com elegância. É uma falsidade absoluta. Madri se candidatou três vezes consecutivas, para 2012, 2016 e 2020. Nunca retirou a candidatura, só decidiu não tentar pela quarta vez”, afirmou o presidente do CONI.

O dirigente ressaltou também que os Jogos de 2024 serão “os primeiros com novas regras”, o que permitiria a Roma “não pagar quase nada” e melhorar o sistema de transporte e a viabilidade de uma cidade que tem graves carências nos serviços básicos.

Ao desistir definitivamente da candidatura de Roma, o mandatário do CONI disse que apresentará a candidatura de Milão para ser sede da sessão do COI em 2019, alegando que a cidade nortista conta com o apoio dos dirigentes políticos.

Malagò agradeceu a todos os colaboradores pelo empenho e informou que o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, estava “incomodado” pela situação na qual se encontrava o dirigente italiano.

“O COI está incomodado por mim, mas me disseram que mais do que isso não poderia ser feito”, comentou.