Robô nega foto de passaporte e gera polêmica na Nova Zelândia

Sistema teria alertado jovem repetidas vezes de que seus olhos estavam fechados, embora estivessem nitidamente abertos

São Paulo – Uma curiosa publicação no Facebook realizada pelo estudante de engenharia neozelandês Richard Lee, de 22 anos, ganhou noticiários do mundo todo na última semana.

O jovem conta que, ao tentar renovar seu passaporte no site oficial do governo do país, teve sua foto rejeitada diversas vezes pelo software de reconhecimento facial.

O sistema alertou Lee repetidas vezes de que seus olhos estavam fechados, embora estivessem nitidamente abertos, como é possível ver na reprodução de seu post.

“Eu caí da minha cadeira de tanto rir”, afirmou o estudante em entrevista à CNN, alegando que em nenhum momento se sentiu ofendido com o “tratamento” dado pelo computador.

“Eu sei que tenho olhos pequenos e não tenho problema algum com isso. Mas o fato de que um computador não consiga perceber isso é simplesmente hilário”.

Para que sua imagem fosse aceita, Lee precisou enviar ao sistema um retrato com maior luminosidade, conforme solicitado pelo site do governo.

À Reuters, o departamento de Assuntos Internos do governo negou que haja qualquer tipo de discriminação racial por parte do sistema e destacou que mais de 20% das fotos de passaportes submetidas online são rejeitadas em um primeiro momento “por várias razões”. Segundo o órgão, é comum que o software confunda sombras nas fotos com olhos fechados.